Lusiadas.pt | Blog | Prevenção e Estilo de Vida | Saúde da Família | 5 passos para gerir o stresse no Natal
3 min

5 passos para gerir o stresse no Natal

“Com tanto para fazer, como é que vou ter tempo para tudo?” “Os miúdos passam a véspera de Natal contigo ou comigo?”. Eis algumas estratégias para evitar conflitos como estes no Natal.
Chega o Natal e é a época de ir jantar a casa dos pais dele ou dela (mesmo que queira muito estar com os seus), uma divisão que se acentua ainda mais nas famílias reconstruídas, em que além das tradições com os avós se multiplicam as refeições com todos os elementos das novas famílias. A somar a isso, há a obrigatoriedade dos presentes. “Tenho mesmo de comprar para todos?”, estará a perguntar-se. Na verdade, existem outras soluções que reduzirão o seu stresse no Natal, a sua ansiedade, e até o ajudarão a maximizar o espírito natalício, de partilha e cuidado com o outro.

Descubra algumas estratégias para ter um Natal sem stresse e até para convencer todos os elementos a participar na sua construção. Esta é a época certa para relembrar a importância de união e a lidar com conflitos existentes.

1.


Evite a ansiedade dos presentes fazendo listas...

Pensar no que vai oferecer com antecedência vai ajudá-lo. A ansiedade surge porque existe uma sensação de falta de controlo sobre o processo e isso pode ocorrer porque se anda perdido à procura de presentes. Definir uma estratégia, saber o que se quer e onde se quer comprar, pode ser a solução para uma compra de presentes acertada e prazerosa.

2.


... ou oferecendo o seu tempo

Uma das estratégias para fugir ao stresse no Natal é aproveitar a mensagem de entrega ao outro desta época em vez de se focar no problema ("Estou ansioso porque ainda não tenho esta prenda. Como vou resolver isto?").
Pode decidir que a mensagem da época é a partilha e, em vez de ir à procura de um presente, oferecer um vale do seu tempo: para confecionar a ceia de Natal ou para fazer algo por alguém que realmente precisa, por exemplo. Ofereça o seu tempo aos outros, relembrando a necessidade de ajudar quem mais precisa nesta época. Por que não em vez de oferecer mais um presente, atribuir esse valor a uma instituição de solidariedade social?

3.


Expandir a época

Como o Natal e a passagem de ano são épocas do ano emocionalmente mais intensas, é possível que os problemas geradores de sintomatologia depressiva ou ansiosa se agravem, como por exemplo, conflitos familiares (divórcio, filhos de pais separados), a solidão, o luto por alguém querido. Daí que se deva lidar com o que se sente com antecipação para que o dia ou os dias festivos não sejam difíceis.

4.


Faça um planeamento prévio da gestão familiar

Quando se trata de escolher o local onde celebrar o Natal, pode haver conflitos entre casais e até entre pais divorciados.
Quando se tem de gerir os filhos, depois de uma separação, pode ser benéfico um alívio da carga associada aos dias 24 e 25 de dezembro ao dividir a época festiva entre Natal e Passagem de Ano. Assim, não há apenas um momento-chave em que as crianças têm obrigatoriamente de participar e dividir-se, mas dois momentos.

5.


Pedir uma ajuda específica para evitar momentos de stresse no Natal

Esqueça o discurso muito comum entre casais de que "ele ou ela nunca ajudam em casa". Em vez dessa atitude culpabilizante, alimente uma outra, colaborante. Assim, distribua tarefas e envolva marido, mulher ou filhos nas tarefas específicas da época. Por exemplo, se ele não sabe cozinhar, peça-lhe ajuda para embrulhar os presentes ou montar a árvore. Este pedido de ajuda deve ser específico e sublinhar o sentido de comunidade da época natalícia: "Era importante que fizesses isto por todos nós."

Especialidades em foco neste artigo:
Psicologia

Ler mais sobre

Depressão Stresse

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

PT