Lusiadas.pt | Hospitais e Clínicas | Hospital Lusíadas Amadora | Serviços | Unidade Multidisciplinar da Diabetes
Em Portugal, estima-se que cerca de 13.6% da população com idades entre os 20 e os 79 anos, tenha diabetes mellitus.
O diagnóstico precoce desta doença e uma intervenção rápida, reduzem bastante o risco de desenvolvimento das complicações associadas à diabetes.

O Hospital Lusíadas Amadora oferece uma consulta multidisciplinar de diabetes do adulto, elaborada por uma equipa multidisciplinar (com médicos de diferentes especialidades, enfermeiros, nutricionistas e psicólogos), focada no bom controlo metabólico e melhoria dos fatores de risco, de forma a travar o rápido desenvolvimento da doença. 
Embora ainda não haja uma cura definitiva para a diabetes, existem vários tratamentos disponíveis que, quando seguidos de forma regular, promovem saúde e qualidade de vida a pessoa com diabetes. 
Esta consulta visa vigiar, aconselhar e apoiar a pessoa com diabetes e os seus familiares/ cuidadores, promovendo o conhecimento sobre a doença, ensino sobre a autovigilância, gestão e adesão ao regime terapêutico, assim como ensino do autocuidado nas atividades do dia à dia. Tem ainda a finalidade de planear cuidados e proceder à sua revisão periódica.

Descrição sobre a consulta multidisciplinar

A consulta multidisciplinar de diabetes (CMDD) visa promover um acompanhamento da pessoa com diabetes, permitindo acesso as diferentes especialidades médicas, consulta de enfermagem e nutrição. 

Constituem o corpo clinico:

Áreas de intervenção

Avaliação médica com consulta de diferentes especialidades

A consulta de diabetes tem como foco a identificação do tipo de doença, complicações associadas e gestão de outras doenças, funcionando como uma equipa multidisciplinar promovendo o bom controlo metabólico com metas e objetivos individuais a atingir e a terapêutica a adotar, além de avaliação regular e monitorização dos fatores de risco e complicações agudas e tardias de forma a atrasar a progressão da doença.

Avaliação de enfermagem

Tem como foco capacitar a pessoa com diabetes e seus cuidadores para a gestão do processo de saúde e doença, bem como identificar, vigiar e controlar fatores de risco ou complicações, com vista a promover a qualidade de vida da pessoa com diabetes. Inclui atividades como sessões personalizadas de educação para a saúde, promoção da adesão ao regime terapêutico e a medidas preventivas e consulta do pé diabético.     

Avaliação de Nutricionista

A sua integração é indispensável na equipa multidisciplinar, uma vez que desempenha um papel fundamental na educação alimentar da pessoa com diabetes. Na consulta de nutrição são fornecidas informações e ferramentas para o indivíduo com diabetes gerir as suas escolhas alimentares no dia-a-dia. 
A alimentação da pessoa com diabetes não tem de ser restritiva nem monótona. Deve ser tão equilibrada, variada e completa como a alimentação de qualquer indivíduo sem doença, independente da medicação com antidiabéticos orais, injetáveis ou insulina. De recordar que não existem alimentos proibidos para a pessoa com diabetes, deve sim ser adotada uma alimentação equilibrada.
 

Educação para a Saúde na Diabetes

É realizada intervenção personalizada e adaptada a cada pessoa, não só em contexto de consulta, como também é proporcionada a possibilidade de participação em Grupos de Educação para a Saúde na Diabetes, promotores da literacia em saúde e interações positivas para a gestão da doença.  

Resumo sobre diabetes

O que é a diabetes?

A Diabetes é uma doença crónica, onde a quantidade de glicose (açúcar) no sangue é muito elevada porque o pâncreas não produz qualquer insulina (como na diabetes tipo 1) ou não produz insulina suficiente (como na diabetes tipo 2), para ajudar a glicose a entrar nas células do corpo. 

O que pode originar?

Diabetes tipo 1: o sistema imunitário ataca e destrói as células betas do pâncreas que produzem insulina
Diabetes tipo 2: Hábitos de vida pouco saudáveis (sedentarismo, excesso de peso), fazem com que as células do corpo se tornem resistentes aos efeitos da insulina.
 

Quais são os sintomas?

A diabetes pode causar vários sintomas e os mais comuns a ambos os tipos de diabetes são:

  • Sensação de muita sede;
  • Urinar com frequência, especialmente à noite;
  • Sensação constante de fadiga;
  • Perda de peso;

Outros sintomas da diabetes incluem:

  • Comichão em redor da vagina ou pénis, ou ataques regulares de aftas (uma infeção por fungos);
  • Visão turva;
  • Prisão de ventre;
  • Infeções cutâneas e unhas;

 

Nem todas as pessoas têm os mesmos sintomas, e algumas podem não apresentam qualquer sintoma. 
 

Como se faz o diagnóstico?

Visite o seu médico o mais rapidamente possível, se acha que tem sintomas da doença, que ele irá avaliá-lo e pedir exames adequados para o correto diagnóstico.
Quanto mais precoce é feito o diagnóstico e instituído o tratamento adequado, mais  lento é o desenvolvimento das complicações associadas a doença.
 

O que pode acontecer se não trato a diabetes?

Quando não tratada devidamente, pode originar lesões nos diferentes órgãos:

  • Olhos – afeção da retina (a mais profunda das três membranas do olho) que, em casos de maior gravidade, pode evoluir para um estado permanente de cegueira. Esta é a complicação ocular mais comum da diabetes e uma das principais causas de cegueira no nosso país. Por vezes é silenciosa.
  • Rins – a diabetes pode também danificar os vasos sanguíneos renais. Esses danos designam-se por nefropatia e podem levar a doença renal crónica ou à falência do rim, havendo, em certos casos, a necessidade hemodiálise, ou de transplante e pode culminar com a morte.
  • Vasculatura periférica conhecida comummente por circulação sanguínea nas extremidades do corpo. Como consequência, a irrigação sanguínea das extremidades do corpo fica comprometida, podendo dificultar a cicatrização de feridas existentes nos pés e eventualmente conduzir ao aparecimento de úlceras, originando o chamado pé diabético que pode culminar em amputações.
  • Nervos - o excesso de glicose pode provocar danos nos nervos (neuropatia), os quais levam a perda de sensibilidade nas extremidades (mãos, pernas e pés), caracterizada inicialmente por uma sensação de formigueiro e dor. Também alterações na inervação dos órgãos como bexiga a intestino provocando obstipação e bexiga neurogénica.
  • Boca - pode ocorrer uma inflamação da gengiva e até perdas ósseas, as quais podem ocasionar a queda de dentes. Isto acontece porque o elevado nível de glicose potência a acumulação de bactérias e consequente formação de cáries e doença periodontal (condição de inflamação crónica que ataca a estrutura de suporte dos dentes e destrói o osso).
  • Cetoacidose diabética – ocorre mais frequentemente em doentes com diabetes tipo 1, originando no corpo uma alteração ácido-base, um estado de hiperglicemia permanente e a formação de corpos cetónicos, podendo levar a morte. Esta complicação pode estar associada a infeções, comumente renais ou respiratórias, a doenças que provoquem uma produção exagerada de certas hormonas, como adrenalina ou cortisol, ou a uma falha na terapêutica com insulina.
     

A diabetes tem cura?

Embora ainda não haja uma cura definitiva para a diabetes, existem vários tratamentos disponíveis que, quando seguidos de forma regular, proporcionam saúde e qualidade de vida ao diabético.

Contactos

Fale connosco

21 499 93 80

7h às 22h, 365 dias
Chamadas internacionais
+351 21 770 40 40

Lusíadas

Descarregue a app +Lusíadas para mais saúde

Presencialmente

Av. Hospitais Civis de Lisboa, 8

2724-002

Amadora