Hospital Lusíadas Lisboa
21 770 40 40 Contacto Geral

Nova Consulta de Cardio-Oncologia

​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​A Cardio-Oncologia dedica-se ao acompanhamento/tratamento assistencial de doentes oncológicos, que pelos seus antecedentes médicos vários e/ou em função do tratamento oncológico programado ou em curso, podem ter necessidade de avaliação e/ou tratamento cardiovascular específico.

A abordagem dos doentes e a discussão individualizada caso a caso resulta de uma estreita e constante colaboração com os especialistas da Unidade de Oncologia Médica deste Hospital.

A consulta decorre na Unidade Cardiovascular, sendo assegurada por um especialista em Cardiologia.


Quem são os doentes habitualmente referenciados à Consulta de Cardio-Oncologia?

  • Doentes que pela patologia cardiovascular de base (insuficiência cardíaca, história de enfarte, hipertensão grave, doença valvular grave) sejam considerados, pela equipa multidisciplinar, como de elevado risco para o desenvolvimento de cardiotoxicidade – efeitos secundários nocivos sobre a função cardíaca, válvulas, doença coronária, entre outros – associada à terapêutica oncológica.

  • Doentes que desenvolvem cardiotoxicidade durante a terapêutica oncológica e que por isso necessitam de acompanhamento e tratamento específico visando a minoração dos potenciais riscos, com escolhas dos tratamentos mais adequados e seguros.

  • ​Doentes que tenham elevado risco de cardiotoxicidade pelo esquema terapêutico de quimioterapia e/ou radioterapia mais agressivo.

  • Ocasionalmente, doentes que fizeram tratamento oncológico há muitos anos, levando a que se preveja um aumento do risco de desenvolvimento de doença cardíaca a longo prazo.

 

Vantagens da Consulta de Cardio-Oncologia

Pretende-se melhorar a qualidade de assistência médica aos doentes oncológicos, atuando na prevenção da ocorrência de efeitos cardiovasculares adversos em doentes propostos para determinado tratamento oncológico, na deteção precoce de cardiotoxicidade, permitindo o ajuste do tratamento em curso e a prevenção da progressão da doença cardiovascular, assim como no acompanhamento de doentes "sobreviventes de cancro" que poderão vir a desenvolver doenças cardiovasculares​. 

 ​