-->

​​​​​​​​​​​​​

Todos os atletas portugueses vão estar em boas mãos até chegarem aos Jogos Olímpicos de Tóquio, que se iniciam a 23 de julho do próximo ano na capital do Japão. A confirmação chegou na segunda-feira, 19 de agosto, com a assinatura, no Auditório do Hospital Lusíadas Lisboa, da parceria entre a Lusíadas Saúde, o Comité Olímpico de Portugal (COP) e o Comité Paralímpico de Portugal (CPP).

Depois de apoiar os atletas Olímpicos nos Jogos de 2012 (Londres) e 2016 (Rio de Janeiro), a Lusíadas disponibiliza agora a sua prestação de cuidados de excelência também a atletas paralímpicos e surdolímpicos inseridos na missão do CPP, que desta forma poderão recorrer a qualquer Unidade da Lusíadas Saúde para obter cuidados médicos, realizar tratamentos ou simplesmente monitorizar a sua condição física.

"Começo por agradecer e sublinhar o facto de a Lusíadas Saúde ter tido a motivação para ampliar uma parceria que já vinha de trás com o Comité Olímpico Português. É uma parceria que é inclusiva, que de facto trata igual duas dimensões desportivas e por isso penso que é algo que importa sublinhar", afirmou, na cerimónia, o presidente do CPP, José Manuel Lourenço, referindo-se à novidade da inclusão dos atletas paralímpicos e surdolímpicos nesta parceria.

Já José Manuel Constantino assumiu que sempre foi objetivo do COP "reeditar" uma parceria que já se revelou de sucesso: "Queríamos reedita-la não apenas porque correu bem – o que já é muito importante –, mas porque sendo nós responsáveis por missões olímpicas, que contam com os melhores atletas que o país tem, queremos também que os nossos parceiros sejam os melhores". "Por isso olhámos para o Grupo Lusíadas", continuou o líder do COP, "porque de facto entendemos que aqui estamos em boas mãos, diria mesmo que nas melhores mãos".

"Esta é uma relação que nos faz todo o sentido, uma relação que cola muito bem com aquilo que são a Missão e os Valores do Grupo Lusíadas, com a forma como nos queremos posicionar e na forma como promovemos o desporto como promotor de vidas saudáveis", afirmou o anfitrião Vasco Antunes Pereira. O CEO da Lusíadas Saúde reforçou a ideia evocando o seu "passado náutico" e sublinhou o empenho da Lusíadas em "explorar ao máximo" este protocolo, de forma a proporcionar "aos nossos atletas o acesso aos melhores cuidados de saúde ao longo do caminho para os Jogos e mesmo após os Jogos".

Uma cerimónia onde não poderia faltar a apresentação dos responsáveis pelas equipas clínicas que serão responsáveis pelo acompanhamento dos atletas olímpicos. "Queria dar também um cumprimento muito especial ao Dr. Bernardo Vasconcelos, pois para nós, pessoas do desporto, é sempre muito especial e agradável encontrarmos nestes percursos pessoas que também são do desporto", disse José Manuel Constantino, referindo-se ao chefe da equipa clínica Lusíadas nesta parceria, que foi ao longo de muitos anos chefe da equipa médica do futebol profissional do Sport Lisboa e Benfica. Do lado do COP a equipa será chefiada por José Gomes Pereira, outro clínico com passado futebolístico, que em 2011 terminou a sua ligação de mais de uma década ao Sporting Clube de Portugal.​