Lusiadas.pt | Blog | Doenças | Sintomas e tratamentos | O que é a sinusite e como se trata?
2 min

O que é a sinusite e como se trata?

Ter dificuldade em respirar, sentir dor facial que costuma aumentar com o esforço e tosse noturna são alguns dos sintomas da sinusite. Saiba mais sobre esta inflamação.

O que é?

A sinusite é a inflamação da mucosa que cobre os seios perinasais (maxilares, etmoidais, esfenoidais e frontais) associada a um processo infeccioso da mucosa do nariz, normalmente causado por vírus ou bactérias. O fator mais importante para o seu aparecimento é o bloqueio dos condutos de drenagem dos seios perinasais, explica Miguel Castro, otorrinolaringologista no Hospital Lusíadas Albufeira e da Clínica Lusíadas Faro. A sinusite pode ser:

  • Aguda - se o tempo de evolução for inferior a 3 semanas;
  • Subaguda - quando os sintomas persistem entre as 3 semanas e os 3 meses;
  • Crónica - se os sintomas durarem mais de 3 meses.

Em geral é uma doença benigna, mas podem por vezes aparecer complicações.

Sintomas mais frequentes da sinusite aguda

Os sintomas aparecem geralmente após uma constipação que não melhora, e que se agrava após 5 a 7 dias. São eles:

  • Congestão ou obstrução nasal que impede a normal respiração pelo nariz;
  • Rinorreia (corrimento nasal) que é espesso e pode vir a ser amarelo ou esverdeado;
  • Cefaleia e dor facial que costuma aumentar com o esforço ou ao inclinarmo-nos; a dor na face é em redor dos olhos ou ao nível da arcada dentária superior;
  • Frequentemente poderá aparecer uma diminuição do olfato, tosse (especialmente noturna), mau hálito e até febre.

Tipos 

As formas clínicas dependem também dos seios especialmente afetados. Nesse sentido, podem ser:

  • Sinusite maxilar

A sinusite maxilar caracteriza-se pela dor suborbitária que irradia a maxilar e órbita com dor à pressão do seio maxilar;

  • Sinusite etmoidal

A sinusite etmoidal associa-se normalmente à maxilar e que cursa com dor na raiz nasal e ângulo interno da órbita;

  • Sinusite frontal

Cursa com cefaleia supraorbitária frequentemente pulsátil;

  • Sinusite esfenoidal com cefaleia

Menos típica, às vezes referida na parte posterior da cabeça.

Diagnóstico

O diagnóstico faz-se através da história clínica e pelos sintomas, juntamente com a observação das fossas nasais e faringe. Só se houver dúvidas diagnósticas pode ser necessária a realização de uma radiografia dos seios perinasais ou a realização de uma TAC dos mesmos.

Tratamento

O tratamento da rinossinusite aguda faz-se com antibiótico, ao qual podemos adicionar lavagens nasais, analgésicos, mucolíticos e descongestionantes nasais no intuito de eliminar as secreções e melhorar a drenagem do muco dos seios.

Ler mais sobre

Nariz

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

Colaboração

Dr. Miguel Castro

Otorrinolaringologia
Hospital Lusíadas Albufeira, Clínica Lusíadas Faro
PT