Cuidados Intensivos

​A Medicina Intensiva dedica-se ao diagnóstico e tratamento de situações de doença aguda potencialmente reversíveis em doentes que apresentem falência iminente ou estabelecida de uma ou mais funções vitais.

Podem necessitar de cuidados intensivos os doentes em estado crítico potencialmente recuperável (prioridades 1 e 2, eventualmente 3) ou os doentes submetidos a cirurgias importantes, em que estes cuidados e os sistemas de suporte de vida têm uma contribuição determinante para a recuperação.

A prestação de cuidados intensivos e/ou intermédios é assegurada na Clínica de Stº António  pela Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente (UCIP). As unidades de cuidados intensivos têm espaços físicos e equipamento específico e sofisticado, bem como equipas médica e de enfermagem com formação específica neste tipo de cuidados.

A UCIP tem uma capacidade de 7 camas, sendo uma das quais destinada a doentes que necessitam de isolamento.

Funciona 24h, com uma equipa experiente e multidisciplinar, constituída por Médicos, Enfermeiros, Auxiliares de Ação Médica e Auxiliares de Limpeza, articulados entre si por um Coordenador Médico e um Enfermeiro Chefe.

A UCIP da Clínica de Stº António disponibiliza cuidados habitualmente designados de nível 2 e de nível 3, correspondendo a cuidados em unidade de cuidados intermédios e em unidade de cuidados intensivos respetivamente.

Os cuidados de nível 2 estão indicados para  doentes que requerem observação, monitorização ou intervenção detalhada por falência de um único órgão ou sistema. Estão incluídos aqui doentes com patologia do foro médico ou cirúrgico (pós-operatório). 

Os cuidados de nível 3 estão indicados para os doentes que necessitam apenas de suporte respiratório avançado (ventilação mecânica invasiva) ou suporte de pelo menos 2 órgãos. Neste nível incluem-se todos os doentes complexos necessitando de suporte por falência multiorgânica.

Salienta-se que a UCIP da Clínica de Stº António não dispõe de técnicas intermitentes de suporte renal (Hemodialise), embora tenha disponibilidade e possibilidade de iniciar suporte mediante técnica de suporte renal contínua.

A equipa médica e de enfermagem tem o treino e a experiência necessários para lidar com qualquer situação do foro médico ou cirúrgico, incluindo a identificação de situações que recomendem transporte inter-hospitalar para instituições onde os doentes possam receber cuidados específicos não existentes na Clínica de Stº António. Para tal fim existem circuitos definidos.


Os doentes admitidos podem ser classificados em quatro subgrupos de "Prioridades de admissão":

Prioridade 1 - Doente em estado crítico e instável

Doentes em que não se colocam limitações terapêuticas.

Dadores de órgãos.


Prioridade 2  - Doente com necessidade de monitorização intensiva e eventual intervenção imediata

Doentes em que não se colocam limitações terapêuticas.

 

Prioridade 3 – Doente instável, mas com baixa probabilidade de recuperação.

Neste grupo de doentes podem colocar-se limitações terapêuticas (p.ex: não ventilar, não reanimar, não realizar hemodiálise, …)

Normalmente, até prova em contrário serão doentes para intervir e aguardar efeito terapêutico, reavaliando continuidade de cuidados de acordo com evolução.

 

Prioridade 4 – Geralmente sem indicação para admissão.

Doentes sem risco de deterioração funcional única ou múltipla, ou risco vital e que, portanto, não beneficiam do internamento em Medicina Intensiva.

Doentes em estado clínico avançado e irreversível cujo prognóstico não é alterado por intervenções da Medicina Intensiva.

Incluem-se neste grupo os doentes que recusam intervenções terapêuticas, diagnoósticas ou mesmo internamento numa UCI.


​​Dr. ​Alexandre Buinhas Marques – Coordenador da Unidade de Cuidados Intensivos

 

Horário das visitas - das 11h às 21h

  • Em conformidade com a disponibilidade da UCIP, é permitida a entrada no máximo de 2 visitas de cada vez, durante um período de tempo determinado;

  • Informe-nos da sua presença, tocando na campainha à entrada da UCIP e aguarde por um elemento da equipa;

  • Para maior comodidade das pessoas internadas pedimos que desligue o telemóvel antes de entrar na UCIP;

  • Deverá lavar corretamente as mãos, seguindo as orientações do elemento da equipa que o acompanha.


    Recomendações:

  • Sem indicação do Médico e/ou do Enfermeiro, não deve dar nada à pessoa internada (medicamentos, alimentos, bebidas, etc.);

  • Para comodidade de todos deve falar baixo;

  • O número de visitas deve ser tido em consideração, tendo em conta o bem-estar da pessoa internada;

  • As informações clínicas são prestadas por um Médico e/ou do Enfermeiro da UCIP e preferencialmente a um único familiar;

  • Não é permitida a entrada a crianças menores de 10 anos de idade, salvo em casos excecionais.


Caso tenha alguma dúvida ou necessidade de algum esclarecimento ou informação, entre em contacto com a nossa equipa pelo 21 499 93 10.