Lusiadas.pt | Blog | Crianças | Idade escolar | Crianças: como medir a febre
3 min

Crianças: como medir a febre

Os termómetros eletrónicos são os mais adequados para medir a febre. E atenção que se a temperatura for superior a 38º C não tem de dar logo um antipirético ao seu filho.

Há uma tendência dos pais para, quando uma criança tem temperatura superior a 38 ºC, lhe dar de imediato um antipirético. Mas pode ser um erro, alerta João Rosa, coordenador da Pediatria nas Unidades Lusíadas no Algarve. É que a febre é a indicação de que existe um processo inflamatório em curso (nos mais pequenos tem, geralmente, origem infeciosa) e a subida da temperatura corporal ajuda a combater essa infeção, explica o pediatra. Saiba então como deve medir a febre, como deve agir, quando o medicar e quando deve recorrer a um profissional.

Como medir a febre

  • Ter o termómetro certo

Os termómetros eletrónicos para medição retal ou axilar são os mais adequados para medir a febre: são geralmente fiáveis e o tempo de determinação da temperatura é rápida (cerca de 1 minuto).

  • Ter a criança com pouca roupa

A criança não deve estar muito agasalhada, uma vez que isso pode fazer subir artificialmente a temperatura da pele.

  • Ter atenção ao suor

A presença de suor não altera a medição da temperatura axilar. Mas interfere com as medições feitas em zonas descobertas (como a testa), já que diminui a temperatura cutânea, especialmente se a temperatura ambiente for baixa ou houver ar em circulação.

  • Onde medir a febre?

Idealmente, a temperatura deveria ser sempre medida no reto, já que é a temperatura corporal real. A temperatura medida à superfície da pele é afetada pelo ambiente mais frio ou quente e pela constrição dos vasos sanguíneos da pele. Contudo, este processo não é agradável e pode representar algum risco se o termómetro se partir. Assim, aconselha-se que: - A medição da temperatura seja retal nos primeiros meses de vida. - Nas crianças mais velhas, que se mexem mais, é preferível medir a temperatura axilar que não é tão afetada como a testa pelas condições do ambiente.

O que não fazer

  • Agasalhar as crianças

Como referido, durante a subida da temperatura as crianças têm frio, os pais agasalham-nas. Ao fazerem-no, impedem que o calor se dissipe o que, consequentemente, aumenta a temperatura corporal. Ou seja, agravam a febre.

  • Não se tem de administrar obrigatoriamente antipiréticos aos 38 ºC

É um erro encarar a febre por si própria como uma doença que é preciso tratar, pelo que não é verdade que se tenha de administrar obrigatoriamente antipiréticos quando a criança tem 38 ºC ou 38,5 ºC. A subida da temperatura corporal ajuda a combater a infeção ao dificultar o funcionamento dos micro-organismos invasores, cujo metabolismo está menos bem adaptado a temperaturas mais elevadas. Portanto, se não existirem outros fatores de risco, se a temperatura corporal não for muito elevada e, se a criança estiver confortável, não há urgência em usar antipiréticos.

  • Dar um banho tépido de forma recorrente

É uma medida que não deve ser de uso corrente (hoje usam-se primeiro os antipiréticos), a não ser que haja grande urgência em baixar a temperatura corporal. A água não pode ser fria: deve estar 1 a 2 ºC abaixo da temperatura corporal. A criança deve ficar dentro de água algum tempo para que a temperatura corporal baixe lentamente à medida que a água vai arrefecendo.

  • Misturar o xarope com o leite

Não se deve misturar o xarope com o leite quando as crianças se recusam a tomá-lo porque se perde o controlo da quantidade de medicamento que efetivamente tomam.

Quando ir ao médico

Não há nenhuma temperatura que obrigue os pais a irem de imediato ao médico. Há, no entanto, algumas situações em que as crianças devem ser observadas com mais rapidez:

  • Bebés nos primeiros 2-3 meses de vida;
  • Quando a criança está prostrada ou demonstra sonolência exagerada com pouca resposta a estímulos, especialmente quando a temperatura já baixou;
  • Vómitos consecutivos; 
  • Lesões da pele concomitantes com a febre;
  • Febre elevada que não cede à medicação com antipiréticos.

Sabia ainda que…
…em dias quentes, podem conservar-se os supositórios no frio para não derreterem?

Ler mais sobre

Febre na Criança

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

PT