Cirurgia Vascular

Especialidade vocacionada para o tratamento médico e cirúrgico de doenças das artérias, veias e vasos linfáticos.

 

​A prática clínica da Unidade de Angiologia e Cirurgia Vascular do Hospital Lusíadas Lisboa é dedicada ao diagnóstico e tratamento das doenças que envolvem as artérias, as veias e os vasos linfáticos.

Para isso dispomos de uma equipa de profissionais competentes nas várias áreas da especialidade, no sentido de conseguir um diagnóstico claro, darmos respostas esclarecidas aos que nos procuram e propormos um tratamento eficaz.

A Unidade de Cirurgia Vascular do Hospital Lusíadas Lisboa está apetrechada com equipamento atual e necessário para conseguir este objetivo.

No caso do tratamento cirúrgico (convencional ou endovascular) existe um Bloco Operatório com pessoal médico e de enfermagem altamente qualificado e com experiência na área vascular, a que se segue uma Unidade de Cuidados Intensivos equipada para cuidar daqueles que necessitam de uma monitorização contínua.​

A qualidade dos serviços prestados está sob escrutínio no sentido de melhorar também o respeito a afabilidade e a dignidade com que os clientes são recebidos.

Dr. Pereira Albino, Coordenador da Unidade de Cirurgia Vascular

Dr. Pereira Albino

Coordenador da Unidade de Cirurgia Vascular

Principais áreas de interesse:

Cirurgia de varizes por laser e radiofrequência. Escleroterapia de varizes nomeadamente com espuma. Úlcera de perna. Pé diabético. Cirurgia arterial aberta e endovascular de Carótidas, Aneurismas da Aorta e Doença Arterial Periférica. Trombose venosa profunda na forma aguda e nas repercussões crónicas. Malformações e Tumores Vasculares. Linfedemas.

Ver Mais

Dr. Carlos Amaral

Principais áreas de interesse:

Ecodoppler.

Ver Mais

Dr. Gonçalo Queiroz de Sousa

Principais áreas de interesse:

Cirurgia de Varizes (minimamente invasiva, radiofrequência); Escleroterapia de varizes; Cirurgia arterial convencional e endovascular; Cirurgia de acessos para hemodiálise; Tratamento da Trombose Venosa Profunda; Úlcera de perna.

Ver Mais

Dr. João Vieira

Principais áreas de interesse:

Cirurgia endovenosa de varizes, Escleroterapia de varizes, Úlcera de perna, Pé diabético, Cirurgia arterial direta e endovascular (carótidas, aneurismas da aorta e periféricos, isquemia dos membros), Recanalização venosa profunda aguda e crónica, Malformações vasculares, Cirurgia de acessos para hemodiálise.

Ver Mais

Dra. Leonor Vasconcelos

Principais áreas de interesse:

Cirurgia de varizes minimamente invasiva (radiofrequência), escleroterapia de varizes, tratamento cirúrgico e endovascular da patologia isquémica dos membros inferiores e da patologia aneurismática arterial.

Ver Mais

Dra. Maria Teresa Vieira

Principais áreas de interesse:

Cirurgia de varizes (radiofrequência e laser). Escleroterapia de varizes. Cirurgia arterial dos membros inferiores e aneurismática. Cirurgia de acessos vasculares para hemodiálise.

Ver Mais

Dr. Pedro Amorim

Principais áreas de interesse:

Cirurgia endovenosa de varizes, Escleroterapia de varizes, Úlcera de perna, Pé diabético, Cirurgia arterial directa e endovascular (carótidas, aneurismas da aorta e periféricos, isquemia dos membros), Recanalização venosa profunda aguda e crónica, Malformações vasculares, Cirurgia de acessos para hemodiálise.

Ver Mais

  • ​Atendimento 24 h/dia para as situações agudas.

O tratamento da doença venosa crónica é adaptado a cada doente dependendo da severidade da doença, da idade e do seu estado geral.

  • Escleroterapia ambulatória de varizes;

  • Cirurgia convencional (internamento/ambulatório);

  • Flebectomia ambulatória;

  • Tratamento endovascular por Laser ou Radiofrequência (internamento/ambulatório);

  • Cirurgia endoscópica de perfurentes.

​Desde que um aneurisma existe ele não desaparece. A terapêutica médica e o controlo dos fatores de risco pode abrandar o seu crescimento mas não a sua cura.

  • Cirurgia convencional por laparotomia e substituição da aorta por uma prótese (cirurgia complexa e de alto risco dependendo da extensão do procedimento e do estado geral do doente; tempo de recuperação de quatro a seis semanas, e tempo de internamento condicionado ao estado geral do doente e do tipo de cirurgia efetuada)

  • Tratamento endovascular (EVAR) – este tratamento não é exequível nem adaptado a todos os doentes; é vulgarmente indicado para aqueles que necessitando de correção do seu aneurisma, são considerados de alto risco por comorbilidades existentes. Necessita ainda de uma anatomia favorável ou seja de uma anatomia do doente que permita a exequibilidade da técnica. No procedimento, uma prótese sintética é inserida por uma artéria (artéria femural) e por controlo Rx é colocada por dentro do aneurisma fazendo com que o fluxo de sangue passe pela prótese excluido assim o aneurisma.

  • Controlo dos fatores de risco;

  • Terapêutica médica;

  • Terapêutica endovascular (angioplastia/stenting) - um balão conduzido por um cateter depois de entrar por uma artéria é conduzido ao local da obstrução onde após insuflação abre as áreas estenosadas ou ocluídas (feito sob anestesia local / sedação).

  • Cirurgia convencional – endarterectomia (retirar cirurgicamente a placa de aterosclerose que obstrui o vaso) e bypass (substituição cirúrgica do segmento obstruído por uma prótese sintética ou por uma veia). 

  • Endarterectomia carotídea.
  • ​Construção e revisão de acessos vasculares para hemodiálise.
  • ​Ecodoppler

Consulte aqui a informação detalhada sobre os exames desta expecialidade.