Lusiadas.pt | Blog | Crianças | Obesidade Infantil | Crianças que dormem mal: o impacto no desenvolvimento
4 min

Crianças que dormem mal: o impacto no desenvolvimento

A fraca qualidade do sono pode ter consequências diretas no peso e no bem-estar das crianças e de jovens. Sandra Marques, especialista em Medicina Interna e Sonologista Europeia da Clínica Lusíadas Almada, esclarece qual a relação entre um sono descansado e uma vida saudável.

Dormir mal, que se define por sono sem qualidade na infância e na adolescência, prejudica o desenvolvimento físico e intelectual e abre portas para doenças como a hipertensão, a diabetes e a obesidade.

Um dos motivos é que as crianças e adolescentes que dormem mal têm tendência a alimentarem-se de forma inadequada e fora de horas. Além disso, ficam mais agitados, irrequietos e irritados, cansados e, por vezes, sonolentos, durante o dia.

Em entrevista, Sandra Marques, especialista em Medicina Interna e em Medicina do Sono da Clínica Lusíadas Almada, explica como prevenir o problema.

De que forma é que dormir mal prejudica a criança?

(Sandra Marques) O sono tem um papel importante no desenvolvimento das crianças e dos adolescentes. Os lactentes devem passar entre 14 e 18 horas por dia a dormir, metade das quais na fase REM (sigla em inglês para “movimento rápido dos olhos”). Nesta fase ocorre a maioria dos sonhos e verifica-se parte da estruturação da maturação emocional.

Ao longo da infância e da adolescência, a duração necessária do sono e a sua qualidade são essenciais para o equilíbrio do organismo e para o equilíbrio psicoemocional. Além disso, a criança privada de sono, que dorme mal, não consegue ter um desenvolvimento máximo da sua atenção e apresenta dificuldades de aprendizagem.

O sono é importante na consolidação da memória, que, por sua vez, é imprescindível para a obtenção de nova informação, isto é, é imprescindível para a aprendizagem.

Por que motivo as noites mal dormidas favorecem o aumento de peso?

De uma forma simples, podemos dizer que dormir mal faz com que as nossas células não recuperam energia suficiente. Assim, o nosso cérebro vai procurar essa energia e acabamos por sentir mais necessidade de alimentos de energia rápida, ou seja, alimentos preferencialmente ricos em gordura e em hidratos de carbono, os quais incluem o açúcar. Ou seja, vamos comer mais vezes e dar preferência a alimentos calóricos.

Sem energia, perdemos também a vontade de fazer exercício físico. Resultado: vamos comer mais e gastar menos calorias, com um consequente aumento de peso. Quando esse hábito se prolonga por muito tempo, o corpo desacelera. Tudo porque dormimos pouco, mal ou nas horas erradas do dia.

Outros efeitos do dormir mal são a intolerância à glicose, que aumenta o risco de diabetes, e a síndrome da apneia obstrutiva do sono (interrupções mais ou menos breves e repetidas da respiração durante o sono, problema que, além de cansaço, irritação e sonolência, prejudica o desenvolvimento e a aprendizagem, e deixa o organismo vulnerável a doenças cardiovasculares, como a hipertensão).

Que sintomas revelam as crianças e os adolescentes quando estão a dormir mal?

Ficam preferencialmente irritados e impulsivos, e por, vezes, sonolentos. Também podem ter dificuldades na aprendizagem. Além disso, os adolescentes têm tendência a usar substâncias estimulantes.

Existem estudos que demonstram uma relação direta entre a privação de sono e o consumo de drogas. O número de horas de sono recomendado varia com o grupo etário. Até aos 12 anos, nenhuma criança deveria dormir menos de 10 a 11 horas por dia. Os adolescentes necessitam de dormir entre 8 a 10 horas por noite, de acordo com a recomendação de 2016 da Academia Americana de Medicina do Sono.

Algumas crianças respiram pela boca durante o sono, outras têm o hábito de ranger os dentes. Quais são as causas destes problemas?

Quando uma criança respira pela boca é porque o seu nariz tem um mau funcionamento. Esta respiração oral pode, realmente, estar associada ao ronco e, eventualmente, à apneia do sono.

A causa mais frequente é a hiperplasia dos adenoides e, nesse caso, o médico deverá avaliar se é necessário proceder a uma cirurgia. Já o ranger dos dentes, que se chama de bruxismo, pode ter várias causas. Para saber qual a causa específica, é necessário fazer uma avaliação em consulta médica.

Como é feito o diagnóstico e o tratamento da apneia do sono em crianças?

Na apneia obstrutiva do sono, o ronco é, geralmente, o principal sintoma, assim como um dormir agitado, associado a sudação noturna. Ao longo do dia, a criança pode manifestar cansaço, sonolência, irritabilidade e mau desempenho escolar. Na infância, as causas mais frequentes são facilmente tratáveis: adenoides e amígdalas grandes. Se a causa da apneia for o palato alto ou um maxilar recuado/pequeno, a correção deve aproveitar a fase de crescimento da criança.

Atualmente, as crianças e os adolescentes trocam o dia pela noite, passam horas ligados à Internet e têm pouca exposição à luz solar. Os pais devem dar o exemplo?

Quando são os próprios pais a ter maus hábitos do sono, é difícil dar o exemplo aos filhos. Os adultos cansados têm mais dificuldade em ser firmes nos limites e nas regras de sono necessárias a um bom descanso, em relação ao número de horas que devemos dormir e à hora adequada do deitar e apagar a luz. O ser humano evoluiu para dormir de noite e estar sincronizado com a luz solar durante o dia.

Nos últimos 60 anos, tem aumentado o jet lag social. Isto é, adormece-se tarde e levanta-se cedo – seja para o trabalho, seja para a escola –, o que resulta numa privação crónica do sono. Este fenómeno está em crescimento e, infelizmente, já se verifica nas crianças em idade pré-escolar e é muito, muito frequente nos adolescentes.

Quais são os principais distúrbios do sono na infância?

Há diversas perturbações do sono em crianças e o seu tratamento varia de acordo com as causas detetadas. As mais frequentes dizem respeito aos maus hábitos de sono (sono insuficiente, sem hora certa e/ou nas horas erradas, com muita exposição à luz), o ronco e as parassonias, como o sonambulismo.

Qualquer criança com alterações de sono deve ser avaliada por um especialista experiente que possa identificar estas e outras causas menos frequentes e, a partir daí, propor um tratamento adequado.

Fonte:
Adaptado de AMIL: Obesidade Infantil Não

Ler mais sobre

Criança Sono

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

Especialidades em foco neste artigo

Colaboração

Dra. Sandra Marques

Medicina Interna
Clínica Lusíadas Almada
PT