Lusiadas.pt > Blog > Gravidez e Maternidade > Pós-Parto > Esteja atento à incontinência urinária no pós-parto
2 min

Esteja atento à incontinência urinária no pós-parto

A incontinência urinária é um problema frequente em mulheres no pós-parto, dificultando a recuperação. Mas já é possível prevenir e tratar eficazmente.

A incontinência urinária é uma situação patológica que se traduz numa incapacidade de armazenar e controlar a saída da urina. As perdas involuntárias de urina podem ser diversificadas, dependendo da gravidade do problema, podendo ser ligeiras e ocasionais, ou abundantes e regulares. Agora, saiba mais sobre a incontinência urinária no pós-parto.

Fatores de risco

"Existem vários fatores que contribuem para o aparecimento da incontinência urinária no pós-parto, podendo o próprio parto ser um deles", alerta Joaquim Gonçalves, coordenador da Unidade de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Lusíadas Porto.

Depois de meses a suportar o peso da barriga de grávida e após o esforço de expulsão do bebé, durante o parto, os músculos do pavimento pélvico encontram-se enfraquecidos, não conseguindo suster eficazmente a saída da urina. E a mulher deixa de controlar essa saída involuntária de urina, sobretudo quando tosse, espirra ou dá uma gargalhada.

Outros fatores podem aumentar o risco, como:

  • Número de partos já realizados;
  • Peso excessivo do recém-nascido (mais de 4 quilos);
  • Uso de fórceps;
  • Período prolongado de trabalho de parto;
  • Obesidade na mulher grávida.

Causas

"A causa da incontinência urinária depois de um parto está relacionada com algumas lesões por este provocadas, como é o caso de lesões nervosas, vasculares ou musculares nas estruturas da pelve feminina ou no trato urinário", esclarece Joaquim Gonçalves.

Tratamento da incontinência urinária no pós-parto

Esta incontinência urinária é comum nos primeiros dias após o parto, sendo natural a sua recuperação ao longo das semanas seguintes. Quando tal não acontece, pode ser necessário recorrer a fisioterapia para ajudar a reforçar os músculos perianais. Os exercícios podem até ser realizados ainda antes do parto, caso o problema seja já evidente para a grávida.

Longe vai o tempo em que a mulher ficava condenada ao uso de pensos, fraldas e constrangimentos vários, pelo receio de ser detetada em contexto social.

Alguns cuidados a ter

Durante o período de maior descontrolo da urina, a mulher deve:

  • Evitar a ingestão de álcool e de café;
  • Evitar ingerir comidas picantes;
  • Manter o trânsito intestinal o mais regularizado possível.

Nos casos mais graves, de incontinência urinária persistente, poderá ser necessário recorrer a tratamento medicamentoso ou cirúrgico, tendo em vista a colocação, via vaginal, de um dispositivo que sustém a bexiga e que permite à mulher recuperar o controlo da micção.

Ler mais sobre

Maternidade

Este artigo foi útil?

Colaboração

Dr. Joaquim Gonçalves

Coordenador da Unidade de Ginecologia e Obstetrícia

Hospital Lusíadas Porto:
Clínica Lusíadas Gaia:
PT