Lusiadas.pt | Blog | Os sintomas da depressão na gravidez
3 min

Os sintomas da depressão na gravidez

Cerca de 10% da população sofre de depressão durante a gravidez, mas esta ainda é subdiagnosticada e pouco valorizada. A psiquiatra Ana Peixinho, do Hospital Lusíadas Lisboa, aponta os sintomas a que deve estar atento.

A gravidez está associada a sentimentos de profunda felicidade, mas ao mesmo tempo traz consigo grandes mudanças. Estas alterações, registadas num momento em que a mulher se pode sentir especialmente frágil, podem conduzir à depressão na gravidez. Nesse quadro, saber identificar os sintomas da depressão é importante para se agir o mais cedo possível.

"Este é um período em que se processam muitas alterações hormonais e é, por isso, uma altura extremamente vulnerável. Sem acompanhamento e tratamento adequado, as perturbações mentais podem alterar as respostas fisiológicas e comportamentais da mãe", alerta por isso Ana Peixinho, coordenadora da Unidade de Psiquiatria e Psicologia do Hospital Lusíadas Lisboa, indicando os sintomas da depressão na gravidez a que se deve estar atento.

Sintomas da depressão na gravidez

A depressão perinatal (durante a gravidez) apresenta semelhanças com outros quadros depressivos, embora tenha algumas características específicas. Para identificá-la é preciso estar atento aos sinais:

  • Tristeza;
  • Perda de interesse ou do prazer nas atividades habituais;
  • Alterações não previsíveis no peso ou no apetite;
  • Alterações do sono (insónia ou hipersónia);
  • Fadiga ou perda de energia;
  • Sentimentos de desvalorização ou culpa;
  • Diminuição da concentração;
  • Lentificação ou agitação psicomotora;
  • Pensamentos sobre a morte.

Os sintomas podem ainda estar associados a manifestações de ansiedade, que incluem:

  • Preocupação ou medo, constante ou excessivo;
  • Inquietação;
  • Alterações do sono;
  • Irritabilidade;
  • Aceleração do pensamento;
  • Pensamentos ou imagens intrusivos;
  • Dificuldade de concentração;
  • Comportamentos compulsivos;
  • Crises de pânico com dificuldade em respirar, dor no peito, palpitações ou tonturas.

Consulta de especialidade

Saber identificar os sintomas da depressão, acompanhar e tratar a doença é determinante para o futuro da mulher e da sua família. "Cerca de 10% da população sofre deste tipo de depressão, que ainda é subdiagnosticada e pouco valorizada. No entanto, pode levar a uma depressão mais grave no pós-parto e ao estabelecimento de uma depressão crónica", revela Ana Peixinho.

O aconselhamento médico deve ser procurado se os sintomas da depressão se prolongarem no tempo e aumentarem de intensidade.

O Hospital Lusíadas Lisboa já disponibiliza uma consulta de Psiquiatria Perinatal com o objetivo de diagnosticar e tratar das doenças psiquiátricas associadas à maternidade. A consulta pode ser marcada por iniciativa própria em qualquer momento: desde o planeamento da gravidez até ao primeiro aniversário do bebé.

A medicação durante a gravidez

"É importante esclarecer que, sempre que necessário, é possível fazer medicação durante a gestação, tornando este momento mais estável", esclarece a especialista acrescentando que é possível fazê-lo mesmo a amamentar. Não se pode, no entanto, descurar o acompanhamento profissional e alertar o médico para quaisquer alterações sentidas e não desejadas.

Patologias depressivas prévias

No caso de haver um diagnóstico de depressão anterior à gravidez é importante não suspender a terapêutica psicofarmacológica antes da conceção ou durante  a gravidez. É que esta fase "precipita descompensações perinatais em 70 por cento das mulheres grávidas com patologia depressiva e em 74% das mulheres com o diagnóstico de doença bipolar", alerta a psiquiatra.

"As mulheres com patologia psiquiátrica prévia ou que se inicia durante a gravidez devem ser acompanhadas em consulta de Psiquiatria Perinatal e receber um tratamento adequado e eficaz em cada uma das etapas da gestação, parto, puerpério e amamentação", conclui Ana Peixinho.

Ler mais sobre

Depressão Maternidade

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

Especialidades em foco neste artigo

Colaboração

Dra. Ana Peixinho

Coordenador da Unidade de Psiquiatria , Psicologia , Neuropsicologia

Psiquiatria
Hospital Lusíadas Lisboa
PT