Lusiadas.pt | Blog | Prevenção e Estilo de Vida | Nutrição e Dieta | Factos e mitos sobre a melancia
3 min

Factos e mitos sobre a melancia

A melancia é um dos frutos mais característicos do verão, sendo bastante apreciada pelo seu sabor doce e refrescante. Contudo, além de um paladar agradável, existem muito mais benefícios associados ao seu consumo.

Por ser bastante rica em água e com baixo teor calórico, a melancia constitui um aliado nesta época do ano, permitindo-nos combater o calor e prevenir a desidratação enquanto consumimos – sem peso na consciência – um alimento doce e, simultaneamente saudável.

Composição nutricional 

A melancia, tal como muitos dos frutos de verão, é composta maioritariamente por água (90% da sua composição). Contém apenas 24kcal por 100g e é rica em potássio (um mineral essencial na regulação da pressão arterial e na manutenção da saúde cardiovascular) e em antioxidantes (substâncias capazes de impedir a oxidação das nossas células pelos radicais livres), como o licopeno e o betacaroteno. É a fonte de licopeno por excelência, sendo mais rica neste nutriente do que frutos como o tomate, a goiaba ou a papaia.

Qual a quantidade de melancia recomendada?

A quantidade recomendada, por refeição, equivale a uma fatia de aproximadamente 200g (sem casca), apresentando, nesta quantidade, o mesmo teor de açúcares do que uma maçã pequena ou uma laranja média, por exemplo: Melancia: fique a conhecer melhor este fruto

Contudo, muitas vezes acabamos por não consumir apenas uma fatia de melancia, fazendo uma ingestão de açúcares superior. Importa compreender que se consumirmos, por exemplo, três fatias de melancia, estaremos a consumir o equivalente (em açúcar) a três porções de fruta.

Curiosidades sobre a melancia

  • Versatilidade

A melancia é um alimento bastante versátil, podendo ser consumido na sua forma original, em sumo ou, ainda, na confeção de alguns produtos alimentares, como gelados/sorvetes, purés ou compotas.

  • Forma de Conservação

Quando inteira, a melancia pode ser conservada à temperatura ambiente durante um mês. Uma vez aberta, deve ser armazenada no frigorífico, envolta em película aderente, a uma temperatura entre os 7 e os 10 ᵒC.

Os diabéticos podem consumir melancia?

Muitas pessoas com diabetes abdicam do consumo de frutos como a melancia, pelo seu sabor doce, que nos faz crer que é um fruto bastante rico em açúcares. Contudo, a melancia, na verdade, é um fruto com baixo teor de açúcar mas cuja absorção ocorre muito rapidamente, pelo facto de ser um fruto muito rico em água e muito pobre em gordura e fibra.

Diz-se, por isso, que a melancia tem um elevado Índice Glicémico (IG), que classifica os alimentos de acordo com a velocidade com que os açúcares são absorvidos e passam para a corrente sanguínea, elevando a glicemia (açúcar no sangue). Contudo, apesar do elevado IG da melancia, esta fruta, bem como qualquer tipo de fruta, pode ser consumida por pessoas com diabetes, desde que:

  • Consuma a quantidade recomendada (uma talhada de 200g);
     
  • Não faça uma ingestão isolada deste fruto. Pode combinar o seu consumo com alimentos com baixo teor de açúcar e ricos em fibra e gordura (que atrasam a absorção dos açúcares da melancia). Uma boa sugestão será combiná-la com a ingestão de algumas sementes ou frutos oleaginosos (nozes, amêndoas, avelãs), que possuem estas características;
     
  • Evitar o seu consumo sob a forma de sumo, pois o facto de triturar o alimento, faz aumentar ainda mais o seu IG. O açúcar diluído é mais facilmente absorvido. Lembre-se do exemplo da ingestão de água com açúcar em caso de hipoglicemia, para uma elevação rápida do açúcar no sangue.

Ler mais sobre

Dietas

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

Autoria

Dra. Tânia Furtado

Nutrição Clínica
Hospital Lusíadas Lisboa, Clínica Lusíadas Almada, Clínica Lusíadas Parque das Nações
PT