2 min

Há alimentos que viciam?

Existe uma razão simples para não resistir a um gelado ou a um chocolate: são alimentos que criam dependência. A nutricionista Alina Fernandes, do Hospital Lusíadas Porto, explica porquê.

Existem alimentos que viciam, ou seja, criam dependências, porque “promovem a libertação de dopamina – um neurotransmissor inebriante do prazer - que nos leva a procurar constantemente esta sensação”, explica a nutricionista Alina Fernandes, nutricionista do Hospital Lusíadas Porto.

São também alimentos altamente processados, ricos em gordura e com um elevado índice glicémico. Ao ingeri-los, o cérebro entende que está a receber uma espécie de "recompensa" e vai tentar sempre procurá-la. “Este conceito é novo e ainda muito complexo, mas será muito importante para perceber melhor o problema da obesidade”, avança a especialista.

Top dos alimentos que viciam

A Yale Food Addiction Scale (YFAS) é uma escala criada pela Universidade de Yale para avaliar a dependência dos indivíduos a determinados alimentos. Segundo ela os mais viciantes são:

  • Chocolate;
  • Gelado;
  • Batatas fritas;
  • Pizza;
  • Bolachas;
  • Bolos;
  • Pipocas;
  • Hambúrgueres;

Este tipo de alimentos tem algumas características em comum com as drogas, que transformam as suas propriedades organolépticas (sabor, odor, texturas cremosas ou crocantes) em sensações “viciantes”.

Pizza

Contém doses altamente concentradas de certas substâncias potencialmente aditivas, que são rapidamente absorvidas pelo corpo. Quando mais concentrada é a dose, mais “viciante” ela é.

Chocolate

“Já o chocolate tem na sua composição tiamina, uma das vitaminas do complexo B, que é importante na produção de energia, e feniletilamina, um neuromodulador de sinapses do cérebro similar à anfetamina que aciona a libertação de dopamina. Esta providencia uma sensação de bem-estar e prazer”, explica Alina Fernandes.

Gelados

“Contêm uma concentração de açúcar muito maior do que a existente em alimentos não processados como as frutas,  e são considerados alimentos de conforto emocional”, alerta a nutricionista. “Além disso, as suas características sensoriais levam ao craving (desejo).”

Como evitar os alimentos que viciam

  • Evite jejuns prolongados – uma vez que, quanto mais fome sentir, menor resistência apresenta aos “alimentos tentação”;
  • Faça as compras de casa com uma lista pré-definida e de preferência no final de uma refeição;
  • Não tenha em casa os alimentos considerados mais viciantes e que sabe serem irresistíveis enquanto estiverem guardados na prateleira;
  • Coma apenas quando sentir fome e não quando tem apetite;
  • Evite o stresse e controle as emoções;
  • Pratique exercício físico.

Ler mais sobre

Dietas

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

Revisão Científica

Dra. Alina Fernandes

Nutrição Clínica
Hospital Lusíadas Porto, Clínica Lusíadas Gaia
PT