Lusiadas.pt | Blog | Prevenção e Estilo de Vida | Saúde da Família | SmartKit, caixa de medicamentos inovadora
2 min

SmartKit, caixa de medicamentos inovadora

Caixa de medicamentos inteligente, SmartKit, foi criada por três jovens de Rio Maior, que prometem marcar a diferença no panorama da saúde em Portugal, e já arrecadou vários prémios internacionais.

É apenas uma caixa em acrílico, com seis divisórias, mas promete vir a desempenhar um papel importante para todos os idosos ou pessoas com mobilidade reduzida que necessitam organizar a sua medicação diariamente. Chama-se­ SmartKit e é um projeto conduzido por três alunas da Escola Profissional de Rio Maior, sensibilizados por uma professora, médica, que as alertou para o problema da pluripatologia (padecimento de doenças múltiplas) e a consequente polimedicação (administração de vários medicamentos diferentes), consequência do crescente envelhecimento da população.

Como funciona?

O SmartKit permite guardar medicamentos durante uma semana. Para cada dia existem seis compartimentos, dedicados a cada fase, desde o jejum até ao deitar. É possível programar os alertas para as tomas manualmente, mas também por computador, tablet ou telemóvel, através de uma aplicação. "Chegada a hora da toma é lançado um alerta sonoro e visual", explica Soraia, uma das alunas responsáveis pelo projeto desenvolvido em horário extra-curricular. "O utilizador aciona um botão verde, a caixa abre e o medicamento é-lhe disponibilizado num copo que se ergue através de um pequeno sistema elevatório", conclui. Se falhar uma toma, o SmartKit envia uma mensagem ao cuidador, médico ou enfermeiro.

Vantagens do Smartkit

"Após realizar um estudo de mercado, verificámos que as embalagens para acondicionar medicamentos existentes no mercado são pouco práticas e seguras", diz a professora Maria João Maia. "Na generalidade só têm quatro compartimentos, não cobrindo todas as exigências medicamentosas das pessoas a partir de uma certa idade, além de que são dispendiosas". Alguns dos compartimentos são tão estreitos que os pacientes têm que retirar os medicamentos com pinças, o que é impossível a quem sofra de artrite, por exemplo.

Estima-se  que o custo do que é ainda um protótipo, rondará, aquando a sua comercialização 30 euros por unidade, o que promete ser útil a uma população que tende a envelhecer.

Prémios conquistados

  • 2º lugar no 21º Concurso Nacional para Jovens Cientistas e Investigadores, organizado pela Fundação da Juventude.
  • Prémio Originalidade, EUCYS 2013 – European Union Contest for Young Scientists, Setembro de 2013, em Praga, na República Checa.
  • Menção Honrosa e Medalha de Bronze, INESPO 2014 – International Environment Sustainability Project Olympiad, Amesterdão, Holanda.

Publicado em agosto de 2015

Ler mais sobre

Medicamentos

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

PT