Lusiadas.pt | Blog | Prevenção e Estilo de Vida | Saúde da Mulher | Joanetes: o que são e como se tratam?
2 min

Joanetes: o que são e como se tratam?

Paulo Amado, coordenador da Unidade de Medicina Desportiva do Hospital Lusíadas Porto, e a podologista Carla Ferreira, também do Hospital Lusíadas Porto, explicam-lhe num vídeo o que são os joanetes e os seus tratamentos. Obtenha ainda a resposta para algumas dúvidas frequentes.

Joanetes: o que são? 

Dúvidas Frequentes

Paulo Amado, coordenador da Unidade de Medicina Desportiva do Hospital Lusíadas Porto, responde a algumas perguntas frequentes sobre joanetes.

Qual o peso do fator hereditário?

Os joanetes, conhecidos cientificamente como Hallux Valgus, são realmente um apanágio da civilização moderna, em especial dos ocidentais, muito influenciados pelos costumes e modas, mas não só, pois existe um forte componente genético, sendo como tal, multifatorial a sua etiologia.

Sendo raro nos orientais têm tendência a aumentar nas populações ocidentais. A profilaxia dos joanetes, ou seja, a forma de os evitar, pressupõe o uso de sapatos adequados, não estreitos no ante-pé e sem saltos altos. No entanto, se existir um forte fator hereditário, ou seja, uma história familiar com vários casos de joanetes, mesmo optando por sapatos apropriados, não se consegue evitar o seu aparecimento, mesmo com uso de separadores adequados.

O que fazer quando aparecem joanetes?

Primeiro temos de questionar se provocam dor ou não. Se não doem, deve interrogar-se se devem ser tratados, pois esta alteração dos pés pode não influenciar a marcha normal. No entanto, os pés são o nosso contacto obrigatório com o mundo e o aparecimento dos joanetes vai muitas vezes provocar dores, em especial na marcha (no caminhar), e outras alterações nos pés, como dedos em garra, ou mesmo nas outras articulações e até na coluna vertebral.

As operações são sempre complicadas?

Existe uma certa ideia negativa, na população em geral, sobre o tratamento cirúrgico dos joanetes, fama essa vinda do passado. Mas atualmente as técnicas de correção melhoraram muito, com aplicação de estabilizadores ósseos, que evitam as recidivas e antecipam as recuperações. A pessoa pode ser operada, em muitos casos, por anestesia loco regional e com alta no mesmo dia.

Por tudo isso, procure uma clínica ou unidade especializada em cirurgia do pé e informe-se das possibilidades de tratamento de uma doença muito comum e que muitas é causa de perda de qualidade de vida.

Ler mais sobre

Pés

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

Colaboração

Prof. Dr. Paulo Amado

Coordenador da Unidade de Ortopedia e Traumatologia

Ortopedia e Traumatologia
Hospital Lusíadas Porto
PT