Lusiadas.pt | Blog | Dor ciática: o que é e como tratar
4 min

Dor ciática: o que é e como tratar

A dor ciática é um sinal de perturbação da função do maior nervo do corpo humano — o nervo ciático. Pode ser muito incapacitante e causar muito sofrimento, mas há formas de prevenir e tratamentos eficazes, como explica Victor Gonçalves,coordenador da Unidade de Neurocirurgia do Hospital Lusíadas Lisboa.

O que é o nervo ciático?

É o maior nervo do corpo humano, tem origem na região lombar da coluna vertebral, percorrendo a nádega, a perna e o pé. É graças a este nervo que os músculos das pernas se movem, permitindo articular os membros inferiores.

O que é a dor ciática?

Também chamada simplesmente ciática, trata-se de uma crise aguda de dor ao longo do nervo ciático. A dor é provocada por uma irritação ou compressão das raízes do nervo ciático ou outro tipo de dano no nervo ciático. Pode suceder na coluna lombar, quando há algum tipo de compressão sobre o nervo, provocada por uma hérnia discal, um tumor ou outro tipo de lesão.

No caso da hérnia discal lombar, por exemplo, o anel que circunda o disco intervertebral rompe-se, o núcleo que está no seu interior passa para o canal vertebral e comprime as raízes do nervo, provocando dor. Mas também com o avanço da idade, torna-se mais frequente haver desgaste das estruturas da coluna vertebral e surgem as artroses, que vão afetar a espinal medula e as raízes dos nervos.

Sintomas

A localização da dor varia consoante as raízes do nervo afetadas, mas é comum irradiar para uma das nádegas, para a parte posterior e externa da coxa, da perna e do pé ou para o primeiro dedo do pé. É frequente a dor ciática estar associada à dor lombar. Também costuma haver perda de sensibilidade, diminuição da força muscular, sensação de formigueiro, aumento das dores nos períodos de pé ou sentado e intensificação da dor ao elevar as pernas, nas áreas referidas.

Os sintomas variam de pessoa para pessoa e podem piorar durante a noite. A dor costuma passar ao fim de alguns dias, mas caso o problema persista é muito importante ter um diagnóstico rigoroso, para não se correr o risco de virem a surgir lesões neurológicas irreversíveis.

Fatores de risco

  • Posturas incorretas, mantidas e repetitivas;
  • Sedentarismo;
  • Obesidade;
  • História prévia de dores lombares;
  • Esforços excessivos ou pouco regulados.

Diagnóstico

O relato das queixas pelo doente, complementado com uma avaliação clínica, é fundamental. Pode haver necessidade da realização de exames complementares, como radiografias, tomografia axial computadorizada (TAC) e ressonância magnética da coluna lombar, para se obterem imagens rigorosas da coluna vertebral, dos nervos e das lesões que causam a dor ciática.

Tratamento da dor ciática

Repouso

A primeira medida terapêutica a ser tomada no caso de dor ciática é o repouso no leito. Depois deve ser consultado um médico especialista em coluna vertebral (neurocirurgião ou ortopedista especializados em coluna vertebral).

Medicamentos

Os anti-inflamatórios diminuem a inflamação do nervo e a dor. Os relaxantes musculares também podem ajudar em certos casos.

Exercício

Tanto a fisioterapia como algum exercício físico específico podem ajudar em muitos casos, mas só devem iniciar-se após efetuado o diagnóstico correto e por indicação do médico especialista.

Cirurgia

Está indicada quando a dor é muito intensa e resiste às medidas acima referidas, se surgir diminuição da força muscular ou dormência persistente num membro. O objetivo da intervenção cirúrgica é corrigir a causa da compressão do nervo ciático. A causa mais comum de dor ciática é a hérnia discal e a cirurgia para a sua cura consiste na sua remoção e do disco intervertebral que provoca a compressão.

Prevenção

Devemos cuidar da coluna vertebral ao longo de toda a vida, evitando sobrecarregá-la e fazer treino muscular para manter posturas corretas, em repouso ou durante os movimentos do dia a dia.

Pratique desporto

Praticar exercício físico adequado, sob orientação de técnicos especializados, ajuda a reforçar os músculos que protegem a coluna vertebral. Não se deve fazer exercício físico que ultrapasse as capacidades individuais. A dança é um dos melhores exercícios que se podem fazer pelo equilíbrio muscular, pelo bem-estar e pelo reforço de cálcio nos ossos que proporciona.

Evite os pesos excessivos

Evitar pegar em pesos excessivos e fazê-lo sempre com uma postura defensiva: fletir os joelhos e contrair o abdómen, mantendo a coluna direita e pegando nos pesos com ambas as mãos (por exemplo, se vai às compras deve distribuir o peso pelas duas mãos); equilibrar o esforço e a postura.

Adote uma postura correta

Quando estamos sentados, as costas devem estar totalmente apoiadas na cadeira e os pés bem assentes no chão (pode haver necessidade de usar um pequeno degrau de apoio); o pescoço deve estar sempre direito, o que é particularmente relevante para quem passa horas em frente ao computador. Muito importante é mudar frequentemente de posição, flexibilizando os músculos e as articulações.

Cuidado com o calçado

Deve ser usado calçado confortável, individualizado, que não afete negativamente a postura. Os saltos dos sapatos, vistos tradicionalmente como inimigos da saúde da coluna vertebral, devem antes ser considerados aliados, por quem os usa. E isto porque o conforto que o calçado proporciona está também relacionado com a altura dos saltos. Podemos dizer que no que ao calçado diz respeito, para cada indivíduo o seu salto.

Ler mais sobre

Cirurgia

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

Especialidades em foco neste artigo

Colaboração

Prof. Doutor Victor Gonçalves

Coordenador da Unidade de Neurocirurgia

Neurocirurgia
Hospital Lusíadas Lisboa
PT