Lusiadas.pt | Blog | COVID 19 | Quarentena ou isolamento: o que fazer se partilhar casa
7 min

Quarentena ou isolamento: o que fazer se partilhar casa

Se tiver de ficar em quarentena ou em isolamento, precisa de tomar cuidados especiais, para que não corra o risco de contagiar as pessoas que coabitam na sua casa.

Diferença entre quarentena e isolamento

A quarentena e o isolamento são medidas de afastamento essenciais em Saúde Pública cujo “objetivo é evitar a transmissão do vírus a outras pessoas em sociedade”, como explica Jorge Nunes, coordenador da Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital Lusíadas Lisboa. No entanto, os dois termos não significam o mesmo e a diferença entre quarentena e isolamento reside no estado de doença do indivíduo a quem as autoridades de saúde pedem afastamento social.

  • Quarentena (ou isolamento profilático):

É utilizada em indivíduos que se pressupõem saudáveis, mas que possam ter estado em contacto com um caso confirmado ou que estiveram numa área com cordão sanitário, podendo por isso estar infetados, sem sintomas;

  • Isolamento:

É a medida utilizada em indivíduos que se sabe estarem infetados para que, através do afastamento social, não contagiem outros cidadãos.

Quando ficar em quarentena e em isolamento?

Ambas podem ser indicadas nas seguintes situações, como refere a Direção-Geral da Saúde (DGS):

  • Se tiver tido contacto com uma pessoa diagnosticada com COVID-19 e a medida for determinada pela Autoridade de Saúde que faz a avaliação caso a caso;
  • Se tiver sido diagnosticado com COVID-19 e se o seu médico assistente, depois de o avaliar, considerar que a sua situação clínica não necessita de internamento.

Se lhe for recomendada a quarentena pela Autoridade de Saúde, é importante que siga esta indicação mesmo que não manifeste qualquer sintoma de COVID-19. O mesmo se aplica em casos de isolamento. Nas duas situações descritas acima deve esperar que a Autoridade de Saúde ou o clínico que o acompanha indiquem durante quanto tempo deve permanecer em quarentena ou em isolamento. É essencial permanecer em casa durante o período total de quarentena ou isolamento e, no caso de partilhar casa com outras pessoas, deve tomar cuidados específicos.

Regras para quem partilha casa com outras pessoas

 Idealmente, as pessoas que coabitam com uma pessoa que está em isolamento ou em quarentena deveriam ficar noutro alojamento, assinala a DGS. Esta medida é ainda mais importante se o indivíduo em quarentena ou isolamento viver com pessoas mais velhas, com doenças crónicas ou vulneráveis. No entanto, se tal não for possível, deve seguir as seguintes medidas para proteger a pessoa com quem coabita:

Permaneça numa divisão própria

  • Se houver a suspeita ou a confirmação de que é um doente de COVID-19, deve permanecer numa divisão própria. Esta deve ser bem ventilada e confortável, com janela para o exterior e com uma porta. Tal é essencial “para evitar a passagem do vírus aos familiares”, como explica Jorge Nunes.
     
  • Tenha o telemóvel sempre consigo e com bateria para comunicar com os profissionais de saúde;
     
  • Deve manter a porta do quarto sempre fechada;
     
  • Não deve partilhar a cama com outra pessoa – se possível durma sozinho.

Se precisar de sair para os espaços comuns da casa, use máscara e desinfete os locais

  • Só deve sair da divisão em casos de extrema importância e, nessas situações, deve colocar uma máscara descartável;
     
  • Se não conseguir usar máscara, as pessoas com quem partilha habitação devem fazê-lo;
     
  • Quando sair, deve evitar usar os espaços comuns em simultâneo com outras pessoas, o que inclui os períodos de refeições;
     
  • Se tiver de estar no mesmo espaço com outras pessoas, deve manter a distância e arranjar estratégias para minimizar o contacto. Por exemplo, limitar o tempo em que está com pessoas na mesma divisão ou manter uma distância de pelo menos 2 metros (ou 3 passos de adulto) quando estiverem outras pessoas presentes na mesma divisão, explica a Direção-Geral da Saúde;
     
  • As áreas, bem como as superfícies com as quais a pessoa em quarentena ou em isolamento possa ter estado em contacto, devem ser limpas e desinfetadas (indicações no final deste artigo).

Use uma casa de banho própria, se possível

  • Se a casa permitir, deve usar uma instalação sanitária só para si;
     
  • Se tiver de partilhar a casa de banho com outras pessoas, deve-se “pensar numa rota de casa de banho em que a pessoa em isolamento ou em quarentena seja a última pessoa a utilizá-la. Após essa utilização, a casa de banho deve ser minuciosamente limpa”, aconselha a Direção-Geral da Saúde (indicações no final do artigo);
     
  • Não deve partilhar toalhas e outros utensílios de higiene com as outras pessoas da casa.

Não partilhe qualquer objeto com as outras pessoas

  • A pessoa em quarentena ou em isolamento não deve partilhar os seus pratos, copos, utensílios de cozinha, lençóis e outros objetos pessoais, como telemóveis, auscultadores ou teclados.
     
  • Após usar utensílios como pratos, copos, chávenas ou outros objetos de cozinha, estes devem ser lavados na máquina de lavar louça ou, se não a tiver, com água quente e sabão (detergente de lavar louça à mão, especifica a DGS) e, se possível, lixívia, de forma a eliminar o vírus que esteja nessa superfície;
     
  • Se tiver de partilhar objetos como telemóveis ou teclados, desinfete os equipamentos antes e depois de casa utilização (ver indicações no final do artigo);

Vigie os seus sintomas

Esteja em quarentena ou em isolamento, deve monitorizar os seus sintomas, registando a temperatura corporal duas vezes por dia, mesmo que esteja assintomático.

Cumpra as recomendações de lavagem das mãos e etiqueta respiratória

Ao mesmo tempo, deve permanecer sempre em casa e cumprir as recomendações de lavagem das mãos e de etiqueta respiratória.

Para os cuidadores

Só deve haver um cuidador

  • Idealmente, apenas uma pessoa deverá cuidar de quem está doente e é aconselhado que esta não seja portadora de doença crónica ou imunossupressão.

Se tiver contacto direto com o paciente, deve lavar as mãos

  • Após o contacto com o paciente ou com o espaço onde este se encontra, o cuidador deve lavar as mãos com sabão e água ou com uma solução à base de álcool.

Limitar contactos de pessoas externas

Além dos que ali vivem, mais ninguém deve frequentar a habitação. Em caso de necessidade de contacto urgente com alguém que ali não resida, o contacto deve ser feito por telefone.

Dúvidas frequentes

Lavagem e desinfeção de materiais

Além das medidas de higiene pessoal, deve reforçar os cuidados com a higiene na habitação. Este é um princípio que deve ser aplicado à população em geral, mas que deve ser seguido com especial atenção pelas pessoas que coabitam com alguém com COVID-19 e que está em isolamento. A casa deve ser arejada regularmente abrindo-se portas e janelas para fazer circular o ar e, ao fazer limpezas, deve usar luvas e roupa protetora (como, por exemplo, um avental de plástico), aconselha a DGS.

Superfícies

A lixívia é um desinfetante doméstico que é eficaz a eliminar o vírus SARS-CoV-2, mas a sua utilização deve ser cuidadosa porque concentrações elevadas podem ser nocivas para o utilizador. As indicações da Direção-Geral da Saúde para o uso de lixívia são as seguintes:

  • A lixívia deve ser diluída em água fria;
     
  • Ao aplicar lixívia, ou outro produto semelhante, deve ter em conta o recomendado na ficha de dados de segurança do produto e abrir as janelas para arejar e renovar o ar;
     
  • Deve-se diluir 1 parte de lixívia (com uma concentração original de 5%) em 99 partes iguais de água, ou seja, 4 colheres de chá de lixívia num 1 litro de água.

Como limpar

A Direção-Geral da Saúde deixa os seguintes conselhos:

  • Deve limpar e descontaminar as zonas de contacto frequente, como as maçanetas das portas, corrimões, interruptores de luz, comandos ou teclados;
     
  • As áreas de confeção de alimentos e instalações sanitárias também devem ser descontaminadas com regularidade;
     
  • A limpeza deve ser realizada sempre no sentido de cima para baixo e das áreas mais limpas para as mais sujas;
     
  • Comece por lavar com detergente de uso doméstico e, de seguida aplique lixívia diluída em água, deixando atuar dez minutos;
     
  • No caso de telemóveis, deve consultar as indicações do fabricante e verificar se pode usar toalhitas humedecidas em detergente ou álcool a 70%;
     
  • Quanto maior a frequência de manipulação das superfícies, maior deve ser a frequência de descontaminação.

Lavar a roupa

  • Deve evitar sacudir a roupa suja enrolando-a no sentido de dentro para fora compondo uma espécie de “embrulho”;
     
  • A roupa, bem como as toalhas e a roupa de cama, devem ser lavadas à máquina com detergente, na maior temperatura possível (acima de 60 °C) ou entre 80 °C – 90 °C durante dez minutos para descontaminar através da temperatura;
     
  • Caso não seja possível lavar a altas temperaturas e precise de descontaminar a roupa, use um produto desinfetante próprio para roupas (como, lixívia). Há produtos desinfetantes próprios para roupas com cor;
     
  • Se possível, deve usar máquina de secar a roupa e ferro na maior temperatura possível permitida para a roupa em questão;
    ​​​​​​​
  • Deve lavar as mãos após o tratamento de roupas sujas.

Tratamento de resíduos

Se estiver em quarentena, isolamento ou se tiver sintomas sugestivos de COVID-19, há cuidados específicos a ter com os resíduos. Nesses casos, a Direção-Geral da Saúde aconselha:

  • A usar um caixote do lixo com uma tampa, preferencialmente de abertura não manual (por exemplo, com pedal);
     
  • Caso não tenha um caixote de abertura não manual, lave as mãos antes e depois da sua utilização;
     
  • Deve colocar um saco de plástico dentro do caixote e este deve ser cheio até 2/3 da sua capacidade, no máximo;
     
  • Quando o saco estiver a 2/3 da sua capacidade, deve fechá-lo bem com dois nós bem apertados e, de preferência, com um atilho ou adesivo. Quando o fizer deve usar luvas que depois deve retirar corretamente, lavando as mãos de seguida;
     
  • Deve colocar o saco de plástico dentro de um segundo saco e este deve estar igualmente bem fechado;
     
  • Os resíduos nunca devem ser calcados nem deve apertar o saco para que o ar saia;
     
  • Estes resíduos devem ser descartados em contentores coletivos de resíduos após 24 horas da sua produção e, ao fazê-lo deve ter cuidado para não encostar o saco com lixo à sua roupa ou corpo;
     
  • Estes resíduos nunca devem ser colocados no ecoponto;
     
  • Lave as mãos com água e sabão quando terminar de colocar os resíduos no lixo;
    ​​​​​​​
  • Deve limpar e desinfetar os caixotes do lixo com regularidade.

Fontes:

https://covid19.min-saude.pt/wp-content/uploads/2020/05/ManualVOLUME1-1.pdf

https://covid19.min-saude.pt/wp-content/uploads/2020/04/Distanciamento-social-07-04-2020.pdf

https://covid19.min-saude.pt/wp-content/uploads/2020/03/i026011.pdf

Ler mais sobre

Coronavírus

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

Revisão Científica

Dr. Jorge Nunes

Coordenador da Unidade de Cuidados Intensivos

Medicina Interna
Hospital Lusíadas Lisboa
PT