Lusiadas.pt | Blog | Crianças | Adolescência | Os adolescentes devem tomar suplementos para a memória?
1 min

Os adolescentes devem tomar suplementos para a memória?

Durante o período escolar, é fundamental comer bem e praticar exercício físico, mas será fundamental recorrer a suplementos? A neurologista Ernestina Santos, do Hospital Lusíadas Porto, explica tudo.

Quando a época de exames se aproxima muitos adolescentes recorrem a vitaminas e suplementos para a memória. Mas será que são mesmo recomendados? “O essencial é fazer uma alimentação equilibrada, rica em peixes azuis [sardinha, carapau e cavala, por exemplo], frutos secos, fruta fresca e outros vegetais. É importante também beber água na medida certa”, considera Ernestina Santos, neurologista do Hospital Lusíadas Porto.

E explica: “Se tivermos uma dieta equilibrada, não são necessários suplementos vitamínicos”. Segundo a especialista, nos períodos mais intensos de estudo e de trabalho é fundamental dormir sete a oito horas por noite. “As famosas diretas” não são recomendadas, sublinha a neurologista Ernestina Santos. “São contraproducentes e prejudicam a estruturação da memória.

Os estudantes não devem também ingerir café e bebidas alcoólicas, já que “têm efeitos nocivos sobre o funcionamento dos neurónios”. A neurologista Ernestina Santos, do Hospital Lusíadas Porto, aconselha ainda os estudantes a praticarem desporto.

“Pode aparentar ser um desperdício de tempo quando todo o tempo é essencial para estudar mas, na verdade, contribui para consolidar as memórias, reduz a ansiedade causada pelo período de exames e melhora a autoestima e confiança. No fim acaba por ser um ganho importante.” Se o seu filho sentir necessidade de tomar suplementos para a memória ou vitaminas, consulte antes um especialista. Há uma grande variedade de produtos no mercado e apenas devem ser tomados mediante prescrição médica.

Ler mais sobre

Adolescentes

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

Especialidades em foco neste artigo

Colaboração

Prof. Dra. Ernestina Santos

Neurologia
Hospital Lusíadas Porto
PT