Lusiadas.pt | Blog | Crianças | Obesidade Infantil | 7 estratégias para incentivar as crianças a cozinhar
3 min

7 estratégias para incentivar as crianças a cozinhar

Cozinhar com a ajuda dos seus filhos é importante para os incentivar a experimentar novos sabores e a ganhar hábitos de alimentação saudáveis. Porque o difícil é mesmo começar, leve-os para a cozinha com estas estratégias irresistíveis.

Munidos com aventais e chapéus de chef, torne os seus filhos as estrelas da sua cozinha. Envolver os mais novos na confeção dos alimentos e cozinhar em conjunto é um passo fundamental na relação das crianças com os alimentos, criando os alicerces para uma alimentação saudável.

Com o devido cuidado e tarefas graduais, é possível minimizar riscos e sujidades – tornando a preparação das refeições num momento divertido, em família.

Benefícios de incluir as crianças na elaboração das refeições:

  • Incentivar hábitos de alimentação saudáveis;
  • Trabalhar uma maior recetividade das crianças a experimentar novos alimentos;
  • Melhorar o conhecimento sobre a origem e preparação dos alimentos;
  • Criar hábitos que se podem prolongar para a vida adulta.

Estratégias a seguir

Como começar a envolver os seus filhos na preparação das refeições? Quanto mais cedo melhor, desde que as tarefas sejam adaptadas à idade. Para os incentivar, aproveite estas sete estratégias.

Antes de cozinhar

1. Tire partido da Internet

Graças à Internet e às redes sociais, cozinhar está hoje na moda. Aproveite isso e entusiasme os seus filhos para a confeção de alimentos.

Mostre-lhes tutoriais divertidos no YouTube e proponha que usem essas instruções para o próximo jantar da família. Ou siga contas de Instagram dedicadas à alimentação saudável (de preferência validadas por um nutricionista), desafiando os seus filhos a fazer pratos tão bonitos como aqueles que se veem no ecrã do smartphone.

2. Mostre-lhes showcookings… ao vivo ou na televisão

Há algo de fascinante em ver um chef em ação. Da destreza com que manuseiam os vários utensílios ao prato finalizado, ver a preparação das refeições é quase como assistir a um espetáculo.

Por isso, nada melhor do que levar os seus filhos a showcookings e a workshops de culinária especialmente dedicados a famílias. Em alternativa, aproveite a televisão.

Mostre-lhes programas de culinária e concursos, que são bastante populares hoje em dia. Além de cozinheiros adultos, escolha também programas com crianças a cozinhar. Serão um bom exemplo a seguir.

3. Leve as crianças ao mercado

Para evitar que cozinhar seja apenas mais uma tarefa doméstica, envolva os seus filhos no planeamento das refeições. Vá com eles ao mercado e ao supermercado, oiça a sua opinião e deixe-os fazer escolhas. Desta forma, estarão mais motivados para, quando chegarem a casa, começarem a ajudar a confecionar os alimentos escolhidos.

Na cozinha

4. Prepare um espaço próprio na cozinha

Além de garantir maior segurança para o seu filho – longe de objetos afiados –, preparar-lhe um espaço próprio na cozinha é um incentivo à sua participação. Por um lado, permite-lhe desenvolver responsabilidade e autonomia. Por outro, contribuirá para que se sinta valorizado nestas tarefas, quase como um verdadeiro chef na cozinha da família.

5. Crie um jogo de incentivos

Planeie um sistema de incentivos e níveis a cumprir, como num jogo. Por exemplo, a cada cinco refeições confecionadas, a criança sobe um nível e recebe um crachá para afixar no avental (“mini-ajudante”, “fazer bolos é comigo”, “ás da cozinha”, etc.).

Compense cada nova tarefa com um autocolante e faça uma escala de níveis, com prémios a ganhar por cada patamar (um ida ao parque de diversões no nível 5, por exemplo).

6. Escolha receitas divertidas e junte a família

Quando desafiar os seus filhos para a cozinha, pense em receitas que os mantenham envolvidos durante toda a preparação dos alimentos. Opte por receitas divertidas, que exijam muitas tarefas seguidas (cortar, mexer, amassar, etc.). Desta forma, estarão sempre ocupados e vão sentir a satisfação de “dever cumprido”.

Lembre-se também de os entusiasmar para a confeção de refeições especiais. Convide toda a família a ir jantar a sua casa, marque uma celebração especial ou sugira uma refeição temática de outro país (deixe a escolha de qual para os mais pequenos, para que se sintam envolvidos no planeamento).  

7. Adapte as tarefas à idade 2-3 anos

Lavar frutas ou vegetais, deitar alimentos em recipientes, mexer ingredientes.

4-5 anos: Cortar alimentos mais moles com facas de plástico, espremer frutos, partir ovos.

6-8 anos: Tarefas mais complexas e de maior precisão, tais como cortar alimentos mais duros (com facas específicas para crianças e proteção para os dedos).

A partir dos 8 anos: Tarefas ligadas ao forno e ao fogão, com supervisão.

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

Revisão Científica

Prof. Dra. Cristina Teixeira

Nutrição Clínica
Hospital Lusíadas Porto
PT