Lusiadas.pt | Blog | Doenças | Sintomas e tratamentos | Eczema: tudo o que precisa de saber
2 min

Eczema: tudo o que precisa de saber

A doença de pele que atinge 10% das crianças é cada vez mais comum em Portugal. Conheça as causas e descubra como minimizar os sintomas.

O que é?

O eczema, também denominado dermatite atópica, é uma reação inflamatória da pele, muitas vezes associada a outras doenças alérgicas, como a asma e a rinite. Pode atingir indivíduos de todas as idades, mas é mais frequente na infância. Em Portugal, estima-se que afete 10% das crianças, mas só 1 a 2% apresenta queixas graves. Na maior parte dos casos, a tendência é para que os sintomas desapareçam ou diminuam com o crescimento.

Como se manifesta?

Nos bebés e nas crianças aparece, sobretudo, no rosto, mas nos adultos surge normalmente nos cotovelos e joelhos. As principais características associadas ao eczema são:

  • Prurido;
  • Edema local (inchaço);
  • Erupção eritematosa (vermelhidão).

Na fase crónica observa-se:

  • Espessamento da pele (liquenificação);
  • Secura;
  • Descamação.

Na fase aguda pode haver:

  • Formação de vesículas (bolsas com líquido);
  • Exsudação (libertação de fluidos).

Causas

O eczema tem origens diversas. “Pode resultar de uma predisposição genética aliada a fatores desencadeantes e fatores de manutenção”, explica João Abel Amaro, dermatologista do Hospital Lusíadas Lisboa. Exemplos de agentes que podem desencadear a doença: poeiras, conservantes, produtos sintéticos ou ambientes muito secos.

Tipos de eczema

Eczema atópico ou dermite atópica

Tem origem numa predisposição genética. Pode ser desencadeado por fatores externos e psicossomáticos (stresse emocional, por exemplo);

Eczema de origem traumática ou irritativa

Causado por traumatismos físicos ou substâncias químicas;

Eczema de contacto alérgico

A pessoa desenvolve alergias a substâncias externas (metais, perfumes, conservantes, etc.).

Diagnóstico

É essencialmente clínico podendo, em caso de dúvida, ser confirmado por um exame da anatomia patológica. É comum os especialistas recorrerem a testes cutâneos para caracterizarem alergénios que agudizam o eczema.

Tratamento

O eczema evolui geralmente com períodos de agravamento, que alternam com períodos de remissão, mais ou menos prolongados. O tratamento consiste essencialmente na aplicação local de corticoides e na eliminação dos possíveis agentes que desencadeiam o eczema, nomeadamente os de origem ambiental e profissional. Apesar de ser uma doença sem cura, pode ser controlada com a ajuda de um dermatologista.

Recomendações

  • Evite a exposição aos prováveis fatores que estão na origem da doença, quer sejam ambientais, domésticos ou profissionais. Recorra a medidas de proteção individual (luvas, por exemplo);
  • Prefira vestuário de algodão para evitar transpiração em excesso (o prurido aumento com o suor);
  • Lave todas as peças de roupa que comprar antes de as usar pela primeira vez; - Evite ambientes com pó, que provocam irritação e secura na pele;
  • Mantenha a pele hidratada. Se possível, use um emoliente (de preferência com ácidos gordos) e aplique logo após o banho para evitar a evaporação da água.

Ler mais sobre

Pele

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

Especialidades em foco neste artigo

Dr. João Abel Amaro

Dermatologia
Hospital Lusíadas Lisboa
PT