Lusiadas.pt > Blog > Prevenção e Estilo de Vida > Nutrição e Dieta > Densidade energética e densidade nutricional. Qual a diferença?
2 min

Densidade energética e densidade nutricional. Qual a diferença?

Uma coisa são as calorias de um alimento, outra a proporção de nutrientes presentes face à energia. Qual deve ser o critério de escolha?

Uma alimentação completa, equilibrada e variada visa assegurar as necessidades nutricionais dos indivíduos e promover a saúde. Ao contrário do que poderemos pensar, a qualidade da alimentação não se limita ao valor calórico do alimento. Mais do que contar calorias, pretende-se valorizar o conteúdo em proteína, hidratos de carbono, gordura, fibra, vitaminas e minerais dos alimentos.

O que é a densidade energética?

A densidade energética de um alimento corresponde ao seu valor energético (calorias) por grama. 

O conceito de “elevada densidade energética” está associado a alimentos de maior valor calórico, nomeadamente os bolos de pastelaria, refrigerantes, fast food, entre outros. Estes alimentos, além de terem uma elevada densidade energética, têm também um maior teor de gordura saturada, açúcar e sal — ou seja, nutrientes que, em excesso, têm um impacto negativo na nossa saúde.

E a densidade nutricional?

A densidade nutricional corresponde à proporção de nutrientes por energia deste, ou seja, quanto maior for a densidade nutricional maior será o conteúdo em nutrientes. 

O que é preferível: densidade energética ou densidade nutricional?
No nosso dia-a-dia, devemos optar por alimentos com elevada densidade nutricional, tais como vegetais, frutas e leguminosas, e evitar alimentos com elevada densidade energética e baixa densidade nutricional, onde se incluem os alimentos processados. 

Contudo, na nossa alimentação devemos incluir alimentos com elevada densidade energética e também elevada densidade nutricional, como os frutos oleaginosos (nozes, amêndoas, etc.), peixes gordos (salmão, cavala, etc.), gorduras monoinsaturadas e polinsaturadas (azeite, abacate, etc.). 

Neste sentido, para que tenha uma alimentação completa e equilibrada, opte por alimentos de elevada densidade nutricional e evite aqueles com menor densidade nutricional. A leitura e a interpretação de rótulos é imprescindível neste processo.

6 formas de enriquecer a sua alimentação com alimentos de elevada densidade nutricional

  • Inclua uma peça de fruta, cereais integrais e/ou frutos oleaginosos no seu pequeno almoço;
  • Inicie a refeição de almoço e jantar com uma sopa e acompanhe sempre o prato com legumes cozinhados e/ou salada, temperando-os com azeite;
  • Prefira os cereais integrais pelo seu maior teor em fibra (pão integral, arroz integral, massa integral, etc.);
  • Opte por carnes magras (frango e peru), em detrimento de carnes vermelhas (vaca, porco, etc.);
  • Utilize o azeite como fonte preferencial de gordura na alimentação;
  • Inclua diariamente fruta na sua alimentação.

Realizado por:
Beatriz Vieira, Nutricionista do Hospital Lusíadas Amadora
Cristiana Brito, Nutricionista do Hospital Lusíadas Amadora

Ler mais sobre

Nutrição

Este artigo foi útil?

PT