Lusiadas.pt | Blog | Prevenção e Estilo de Vida | Nutrição e Dieta | Evite os excessos alimentares na Páscoa
4 min

Evite os excessos alimentares na Páscoa

A Páscoa é dos momentos festivos mais propícios para cometer excessos alimentares e perder a linha que tanto lhe custou a manter. Se não resiste a gastronomia ou doçaria típica da época ou tende a procurar o prazer nos doces e outras propostas calóricas, saiba que existem estratégias simples para viver esta data de forma saudável.

Siga os conselhos de Diana e Silva, coordenadora da Unidade de Nutrição Clínica do Hospital Lusíadas Porto, e da psicóloga clínica Júlia Machado, do Centro Multidisciplinar de Tratamento da Obesidade, e aproveite os bons momentos em família ou amigos, sem cair em tentações e evitando os excessos alimentares na Páscoa.

Aprender a evitar os excessos alimentares na Páscoa

Muitos dos excessos alimentares que se cometem podem ser mais do que mera gulodice e não correspondem, com certeza, a necessidades nutricionais. Como explica Júlia Machado, “o que comemos afeta a forma como nos sentimos, contribuindo para o nosso bem-estar. Só que quando cometemos excessos ao longo da vida, a nossa saúde e aparência sofrem alterações que criam sentimentos negativos dirigidos à comida, estabelecendo padrões patológicos. Se não aprendermos a fazer as melhores escolhas, não seremos capazes de controlar a ingestão compulsiva e o ganho de peso. Como consequência, cometemos excessos para obter tranquilidade e altos níveis de energia, em especial nas épocas festivas como a Páscoa. Nestas situações, o que comanda o comportamento de ingestão alimentar são as emoções e não as necessidades nutricionais”.

Excessos alimentares na Páscoa: antecipe a situação

A melhor maneira de diminuir a ingestão calórica é, segundo a nutricionista Diana e Silva, antecipar-se à situação: “Nos dias anteriores à ocasião, consuma mais hortícolas em saladas, sopas, cozidos ou salteados, e coma mais fruta. Reduza a ingestão de hidratos de carbono, proteínas e gorduras.” A alimentação saudável deve ser complementada com exercício. “Pense em aumentar a carga de atividade física no ginásio, em casa ou na rua, durante, pelo menos, uma hora: caminhada, zumba, ténis, futebol, ginástica ou um 'mixfisica', como saltar à corda, caminhar, correr e andar de bicicleta. São todas excelentes opções. O mais importante é que lhe dê prazer, se sinta feliz e simultaneamente combata o excesso de calorias”, sublinha.

Petiscos de risco

Das ementas típicas da Páscoa à doçaria, tudo é uma verdadeira prova de fogo à dieta. Evitamos as tentações de açúcar, mas esquecemos que existem muitos outros alimentos que podem pôr em risco o equilíbrio alimentar. Diana e Silva aconselha “a controlar a ingestão de alguns alimentos, como molhos, pão, frutos secos, com exceção das nozes e amêndoas, refrigerantes, licores, vinhos e cocktails”. Embora as bebidas alcoólicas não encham tanto o estômago, Diana e Silva avisa que “a ingestão calórica pode ser superior à de uma fatia de bolo, se nos lembrarmos que 1g de álcool tem sete calorias”.

Sugestões amigas da dieta

A coordenadora da Unidade de Nutrição Clínica do Hospital Lusíadas Porto partilha alguns conselhos simples que ajudam a manter a balança equilibrada e a contornar os excessos alimentares na Páscoa:

  • Não saia de casa com fome. É preferível comer uma peça de fruta, um iogurte magro com sementes e beber água;
  • Nas entradas e aperitivos, evite os fritos e prefira snacks no forno, espetadas de fruta ou outras opções mais saudáveis;
  • Beba água ou sumo natural;
  • Inicie cada refeição com uma sopa de legumes;
  • Coloque no prato generosas porções de saladas/hortícolas deixando pouco espaço para o acompanhamento principal;
  • Prefira um prato vegetariano (não frito) ou receitas sem maionese, natas ou outros molhos energéticos;
  • Para a sobremesa, comece com fruta e termine com uma pequena fatia de doce.

“Assim, conseguiu provar de tudo sem repetir, divertiu-se e não regressou a casa com um sentimento de culpa”, resume Diana e Silva.

Ajuda multidisciplinar

Se tem sentimentos conflituosos que não o deixam tomar as melhores opções alimentares, Júlia Machado adverte para a possibilidade de estar perante uma ingestão compulsiva dos alimentos e aconselha a procurar ajuda especializada: “A prevenção, feita com o apoio de uma equipa multidisciplinar, passa por identificar precocemente e corrigir comportamentos problemáticos que possam evoluir para distúrbios alimentares. É necessário adotar estratégias preventivas quando e sempre que um comportamento alimentar interfira negativamente na vida da pessoa ou da imagem que tem de si mesma.” Geralmente, estes comportamentos estão relacionados com “baixa autoestima e instabilidade emocional ou com determinadas patologias associadas, tais como ansiedade e depressão”, exemplifica.

Aprenda a mimar-se

Se tem tendência para a compensação emocional através dos alimentos, Júlia Machado e Diana e Silva lembram que é muito importante adotar uma atitude positiva perante as adversidade e aprender a mimar-se:

  • Evite comparações entre si e os outros;
  • Trate bem do seu corpo, estimulando os sentidos e colocando-se em situações de prazer, tal como fazer caminhadas à beira mar, massagens, banhos relaxantes ou habituar-se a ver-se ao espelho e perceber o que aprecia mais em si;
  • Vista roupa de que goste, com que se sente bem ou que há muito tempo não conseguia vestir e agora pode usar;
  • Não esqueça as implicações negativas causadas pelos excessivos erros alimentares que cometeu no passado e o/a tornaram infeliz;
  • Não acredite em dietas-milagre, elas não existem.

É igualmente importante, conclui Júlia Machado, “não atribuir um valor simbólico à comida, usando-a como recompensa ou castigo. As nossas necessidades emocionais são satisfeitas com sentimentos, não com alimentos.”

Ler mais sobre

Dietas

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

Prof. Doutora Diana Silva

Coordenador da Unidade de Nutrição Clínica

Nutrição Clínica
Hospital Lusíadas Porto
PT