Lusiadas.pt > Blog > Prevenção e Estilo de Vida > Saúde da Família > Vacina contra a gripe combinada com a vacinação contra a COVID-19: como funciona
4 min

Vacina contra a gripe combinada com a vacinação contra a COVID-19: como funciona

Revisão científica
Está a decorrer a campanha de vacinação outono-inverno 2022-2023, que se destina à vacina contra a gripe combinada com a vacinação contra a COVID-19.

A campanha de vacinação outono-inverno 2022-2023 está agora a decorrer e destina-se à vacinação contra a gripe e a COVID-19 de utentes e profissionais de estabelecimentos de respostas sociais, doentes e profissionais da rede de cuidados continuados integrados, profissionais do Serviço Nacional de Saúde e grávidas. Progressivamente, e até 17 de dezembro de 2022, serão integrados os outros grupos-alvo abrangidos pela vacinação gratuita, incluindo os cidadãos com 65 anos ou mais.

Quem deve tomar a vacina da gripe?

  • A vacinação contra a gripe é recomendada para os seguintes grupos prioritários:
  • Pessoas consideradas com alto risco de desenvolver complicações pós-gripe
  • Pessoas com 65 anos ou mais, particularmente se residentes em lares de idosos ou outras instituições semelhantes
  • Residentes ou internados por períodos prolongados em instituições prestadoras de cuidados de saúde, como por exemplo hospitais, desde que com idade superior a 6 meses
  • Grávidas
  • Pessoas com mais de 6 meses de idade (incluindo mulheres a amamentar) e que apresentem doenças crónicas ou imunitárias
  • Coabitantes e prestadores de cuidados de saúde de crianças cuja idade não permita a vacinação e que tenham risco elevado de complicações, e de pessoas consideradas de alto risco de desenvolver complicações pós gripe
  • Profissionais de saúde ocupacional, como profissionais dos serviços de saúde e de outros serviços prestadores de cuidados, bombeiros, profissionais de infantários, creches e equiparados, profissionais dos estabelecimentos prisionais
  • Residentes em instituições, incluindo lares de idosos, lares de apoio, lares residenciais e centros de acolhimento temporário
  • Utentes de serviço de apoio domiciliário
  • Pessoas da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI)
  • Pessoas apoiadas no domicílio pelos serviços de apoio domiciliário (Segurança Social ou Misericórdias Portuguesas)
  • Pessoas internadas em unidades de saúde do SNS que apresentem doenças crónicas para as quais se recomenda a vacina
  • Reclusos nos estabelecimentos prisionais

Recomenda-se ainda a vacinação das pessoas com idades entre os 60 e os 64 anos.

Posso tomar a vacina contra a COVID-19 ao mesmo tempo da vacina contra a gripe?

A vacinação contra a COVID-19 pode ser feita juntamente com a vacina inativada contra a gripe, mas devem ser administradas em partes diferentes do corpo: a vacina contra a COVID-19 deve ser administrada no braço esquerdo, enquanto o direito fica reservado à vacina contra a gripe.

Para além disto, a vacina inativada contra a gripe pode ser tomada em conjunto com:

  • Vacina pneumocócica 
  • Vacina contra tétano e difteria 
  • Vacina Tdpa (vacina combinada contra a tosse convulsa, o tétano e a difteria) na grávida

A diferença entre a vacina da gripe e a vacinação contra a COVID-19

A vacina da gripe deve ser administrada todos os anos, e é importante para prevenir a gripe e as suas complicações. Por seu turno, a vacina contra a COVID-19 desempenha um papel central na preservação de vidas humanas e no controlo da pandemia, uma vez que diminui o risco de contrair a doença, para além de evitar a doença grave e a morte.

Tratando-se de vacinas diferentes, pode optar pela administração em dias alternados, com qualquer intervalo entre as tomas.

A dose de reforço da COVID-19 nesta campanha de vacinação

Atualmente, na campanha de vacinação contra a COVID-19, está recomendada uma dose de reforço sazonal com vacinas de mRNA, preferencialmente da mesma marca que a dose anterior. para os seguintes grupos elegíveis:

  • Profissionais e residentes em lares (Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas), instituições similares, Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI), e estabelecimentos prisionais
  • Pessoas com mais de 60 anos
  • Pessoas com idades entre 18 e 59 anos ou entre os 12 e 17 anos com doenças de risco
  • Profissionais dos serviços de saúde e de outros serviços prestadores de cuidados de saúde, estudantes em estágio clínico, e bombeiros envolvidos no transporte de doentes

No caso das pessoas pertencentes aos grupos elegíveis para reforço sazonal que não tenham o esquema vacinal atualizado, há algumas recomendações específicas.

  • Esquema vacinal primário incompleto: completam o esquema vacinal primário e efetuam uma dose de reforço
  • Sem o(s) reforço(s) recomendados: efetuam apenas uma dose de reforço

O intervalo recomendado entre a dose de reforço sazonal e o evento mais recente — última dose de vacina ou diagnóstico de infeção por SARS-CoV-2 — é de quatro a seis meses.

Como é feita a convocatória para a vacina da gripe e de reforço sazonal COVID-19?

O agendamento e convocatória das pessoas abrangidas pela vacinação gratuita será feito através de três maneiras:

  • Envio de SMS automático, de forma centralizada, via 2424
  • Agendamento local, pelas unidades de saúde, por contacto telefónico ou através de SMS, via 2424
  • Carta, pelas unidades de saúde

A modalidade de vacinação “casa aberta” continua a funcionar?

Atualmente a modalidade “casa aberta”, ou seja, a possibilidade de se deslocar ao ponto de vacinação ou ao centro de saúde sem marcação, encontra-se disponível para os casos de:

  • Vacinação primária contra a COVID-19 para utentes com 12 ou mais anos
  • Vacinação de reforço contra a COVID-19 para utentes:
    • com 18 ou mais anos que tenham completado o esquema vacinal primário contra a COVID-19 há 150 ou mais dias, e para os utentes inoculados com a vacina da Janssen há 90 ou mais dias
    • dos 18 aos 59 anos que tenham completado o esquema vacinal primário contra a COVID-19 e que não tenham sido infetados há menos de 90 dias
  • Reforço sazonal de outono contra a COVID-19 para grupos profissionais prioritários:
    • profissionais em lares (Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas), Lares de Apoio, Lares Residenciais, Centros de Acolhimento Temporário e instituições similares
    • profissionais da Rede Nacional de Cuidados Continuados
    • bombeiros envolvidos no transporte de doentes e em contato direto com pessoas alto risco
    • estudantes em estágios clínicos

O intervalo recomendado entre a dose de reforço sazonal e o evento mais recente — última dose de vacina ou diagnóstico de infeção por SARS-CoV-2 — é de quatro a seis meses.

Para ser vacinado, basta dirigir-se diretamente ao ponto de vacinação ou ao centro de saúde.

Fonte: SNS 24

 

Ler mais sobre

Vacinação

Este artigo foi útil?

Revisão Científica

Dr. André P. Lourenço

Hospital Lusíadas Porto
Clínica Lusíadas Gaia
PT