2 min

Alcoolismo nas mulheres

Doença comum, mas escondida, o alcoolismo nas mulheres é explicado por Ana Peixinho, Coordenadora da Unidade de Psiquiatria e Psicologia do Hospital Lusíadas Lisboa.

O alcoolismo nas mulheres é particularmente grave porque o seu organismo tem menor capacidade de metabolizar grandes quantidades de álcool.

Razões que levam a beber

  • Desemprego e precariedade no emprego;
  • Isolamento;
  • Antecedentes de abuso sexual na infância,
  • Divórcio e problemas conjugais;
  • Saída dos filhos de casa.

"A associação entre perturbações psiquiátricas e o alcoolismo é particularmente marcante nas mulheres", diz Ana Peixinho,"nomeadamente perturbações depressivas e de ansiedade, que requerem também tratamento psiquiátrico para que se possa controlar o problema de consumo de álcool."

Quando diagnosticar o alcoolismo nas mulheres

Uma mulher é alcoólica quando tem uma dependência em relação ao consumo de álcool que origina problemas físicos, psicológicos ou sociais. A dependência alcoólica na mulher inicia-se mais tarde que no homem e as consequências do consumo excessivo são mais rápidas, ou seja, as complicações decorrentes do abuso demoram menos tempo a instalar-se, pois o organismo feminino tem menor capacidade de metabolizar grandes quantidades de álcool.

Como bebem as mulheres

  • Sozinhas

O ato é vivido com culpa;

  • Cedo de manhã

Visa a obtenção de um efeito euforizante ou ansiolítico;

  • Rapidamente

A ingestão do álcool é rápida e pouco enraizada em convívios sociais.

O estigma

O alcoolismo nas mulheres é mais reprovado socialmente e mais apontado com atitudes moralistas. O medo do estigma, reprovação social e perda dos filhos contribuem para uma dependência “escondida” até muito tarde.

Solução

  • Assumir a dependência

Antes de mais assumir a sua dependência e tratá-la procurando ajuda junto da família, do seu médico assistente e do psiquiatra. Quanto mais tarde o diagnóstico, mais difícil será o tratamento.

  • Não ter vergonha

É fundamental perceber que os técnicos de saúde não pretendem julgar mas sim identificar o problema e iniciar um tratamento precoce aproveitando fases da vida em que exista motivação e rede de suporte.

  • O estigma social dificulta a resolução do problema

Compreender que esta é uma doença comum que se mantém escondida e “abafada” pela vergonha, reprovação e sentimentos negativos e culpabilizantes da mulher alcoólica.

Tratamento

O tratamento é avaliado caso a caso e inclui psicofármacos e psicoterapia. Em casos selecionados poderá ser considerado o internamento em programa de desabituação alcoólica.

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

Especialidades em foco neste artigo

Dra. Ana Peixinho

Coordenador da Unidade de Psiquiatria , Psicologia , Neuropsicologia

Psiquiatria
Hospital Lusíadas Lisboa
PT