3 min

O que é e quais os tratamentos da periodontite

Colaboração
Se não for devidamente tratada, a periodontite pode levar à perda permanente dos dentes.

A periodontite é uma patologia oral inflamatória, que destrói progressivamente os tecidos de suporte dos dentes, explica David Aleixo, Chief Medical Officer e Chief Operations Officer da HeyDoc e Coordenador HeyDoc Amoreiras. Trata-se de uma evolução da gengivite, com a inflamação das gengivas a passar para as estruturas de apoio dos dentes.

Causas e fatores de risco da periodontite

Existe um número grande de causas que podem levar à periodontite, mas a principal é uma má higiene oral, que pode levar a uma acumulação de placa bacteriana ou de tártaro nos dentes.
Para além de uma má higiene oral, quando se tem gengivite, que é a patologia que precede a periodontite, há vários fatores de risco.

  • As alterações hormonais podem levar a gengivite, por isso, uma gravidez pode ser um fator de risco.
  • O fumo do tabaco também é um fator de risco, assim como o consumo de drogas e álcool.
  • Outro fator de risco é a obesidade ou uma má nutrição, em que haja, por exemplo, deficiência de vitamina C.
  • Pode haver alguma predisposição genética para a existência desta patologia.
  • Alguns medicamentos podem também causar esta patologia, sobretudo por poderem gerar falta de saliva. “Menos saliva, menos lubrificação e acabamos por ter uma higiene menos adequada”, explica. 
  • Há patologias que diminuem a imunidade, como a leucemia, o VIH, a diabetes, a doença de Crohn, assim como alguns tratamentos oncológicos. “Tipicamente, diminuem a imunidade, fazendo com que depois a higiene ou a higiene insuficiente leve a desenvolver essa periodontite.” 

Sintomas

Entre os sinais de periodontite a que se deve estar alerta, há alguns que são bastante evidentes.
Pode desenvolver halitose, que é aquilo a que se chama mau hálito.

  • Pode ter hemorragias espontâneas ou à escovagem. “Muitas vezes, as pessoas escovam os dentes e a gengiva começa a sangrar sem se magoarem, não é uma lesão, é uma hemorragia à escovagem”, explica o médico. 
  • Um dos sinais é a mobilidade dentária, ou seja, quando se tem dentes a abanar. 
  • O aumento do espaço entre os dentes também é um sinal típico de periodontite.

Quais os tratamentos

Os tratamentos dependem do estado da evolução da doença, podendo variar “de uma destartarização, que pode ser supra-gengival e sub-gengival” ou, em casos mais complexos, “pode mesmo exigir um tratamento cirúrgico de regeneração para tentar recuperar a inserção periodontal perdida”. 
Um doente periodontal que não é tratado, em última análise, pode perder de forma definitiva os dentes. “A periodontite é uma patologia silenciosa que não dá dor”, diz o médico, salientando que não costuma ser de progressão rápida, exceto em algum tipo de periodontite mais específico. Quando começa a haver mobilidade dentária, significa que há perda do osso que envolve o dente e, se não for devidamente acompanhado pelo médico dentista, no fim da linha, “são dentes que têm de ser removidos porque já não há qualquer hipótese”. 

A prevenção

A prevenção é essencial no que diz respeito à periodontite, e esta passa sobretudo por uma boa higiene oral. “É importante para conseguir manter os dentes saudáveis, de forma a que eles nem sequer abanem e, mesmo que abanem, conseguirmos nós estabilizá-los de forma a não perder os dentes”, alerta. 
Por isso, para além de uma boa higiene oral, é importante manter consultas de manutenção com um higienista, de seis em seis meses. “As consultas de higiene oral têm duas vertentes: o tratamento da higiene oral per se, com a remoção do tártaro que não conseguimos fazer em casa, mas uma componente da consulta da higiene oral passa pelos ensinos e pelos controlos da higiene oral diária”, afirma, destacando: “Os doentes periodontais podem precisar de usar outro tipo de aparelhos: pode ser o escovilhão dentário, pode ter de mudar a forma como usa a escova. Essas dicas são tipicamente dadas nas consultas de higiene oral.”
 

Ler mais sobre

Boca e Dentes

Este artigo foi útil?

Revisão Científica

Dr. David Braga Aleixo

Dr. David Braga Aleixo

Coordenador da Unidade de Medicina Dentária

Lusíadas Dental Amoreiras
PT