Lusiadas.pt | Blog | Prevenção e Estilo de Vida | Bem estar | Água: o estado de hidratação do idoso
2 min

Água: o estado de hidratação do idoso

Conheça os principais sinais de desidratação e saiba que estratégias adotar para garantir um aporte hídrico adequado.

A água é o maior constituinte do corpo humano, uma vez que grande parte da sua composição são fluidos. O corpo de um recém-nascido é constituído por aproximadamente 70% de fluidos. No entanto, com o envelhecimento esta percentagem tem tendência a diminuir, chegando a cerca de 50% em idade avançada.


Importância da manutenção de um adequado estado de hidratação

Independentemente da faixa etária, a hidratação tem um papel fundamental na saúde, por desempenhar várias funções no organismo: a manutenção da temperatura corporal, o transporte de nutrientes para os diversos órgãos, a eliminação de substâncias tóxicas, a participação em reações enzimáticas, entre outras.

A desidratação é uma forma de malnutrição e ocorre quando há uma perda excessiva de fluidos corporais. Esta perda pode dever-se a situações de doença, exposição a temperaturas elevadas e/ou a um aporte hídrico insuficiente.

As causas mais frequentes de desidratação da população idosa são a diminuição da perceção de sede, défices cognitivos, incontinência urinária e/ou dificuldades na deglutição.
 

Recomendações de ingestão hídrica no idoso

A European Food Safety Authority (EFSA) recomenda uma ingestão hídrica diária de 2,0L/dia para as mulheres e 2,5L/dia para os homens. Em Portugal, de acordo com o Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física, no que diz respeito à população idosa, o género feminino atinge as recomendações da EFSA, enquanto que o género masculino ingere, em média, apenas 2,1L de água por dia.

 

Sinais de desidratação

Sentir sede por si só já é um indício de desidratação. Além deste, saiba quais são os outros sinais a que deve estar atento:

  • Diminuição da produção de suor;
  • Boca seca;
  • Diminuição da produção de saliva;
  • Redução da elasticidade da pele;
  • Urina com cor e odor intensos.

 
Complicações da desidratação no idoso

A desidratação está associada a várias complicações nos idosos, tais como:

  • Confusão/delírio;
  • Má cicatrização;
  • Alterações do trânsito intestinal, como obstipação;
  • Infeções do trato urinário.

 
Como aumentar o aporte hídrico no idoso?


Algumas estratégias para aumentar o aporte hídrico nos idosos incluem a ingestão de:

  • Águas aromatizada (por exemplo, com limão e hortelã, maçã e canela ou frutos vermelhos);
  • Água gelificada (bebida com textura em gel, para o caso de alterações na deglutição);
  • Sopas (têm mais de 85% de água e são ricas em fibra, vitaminas e minerais);
  • Frutas e sumos de fruta naturais, sem adição de açúcar;
  • Hortícolas;
  • Leite (tem 85% de água);
  • Infusões (por exemplo, de camomila, tília ou cidreira).

Beatriz Vieira (Nutricionista da Clínica de Stº António)
Cristiana Brito (Nutricionista da Clínica de Stº António)

 

Ler mais sobre

Idosos

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

PT