Lusiadas.pt > Blog > Prevenção e Estilo de Vida > Bem-estar > Cirurgia plástica no Hospital Lusíadas Porto
3 min

Cirurgia plástica no Hospital Lusíadas Porto

O cirurgião plástico António Conde, responsável pela Unidade de Cirurgia Plástica do Hospital Lusíadas Porto, apresenta-nos este espaço inovador que aposta na plástica cada vez menos invasiva para mudar a imagem.

Num tempo em que se insiste na importância da mente sã em corpo são, há cada vez mais pessoas a preocuparem-se com a aparência, a cuidarem de si e a recorrerem à cirurgia plástica.

A imagem pode não ser tudo, mas não se pode negar o peso que tem na forma como os outros nos veem e, sobretudo, no modo como nos vemos a nós próprios. Uma boa autoestima passa muito por uma boa relação com o nosso corpo e a Unidade de Cirurgia Plástica e Reconstrutiva do Hospital Lusíadas Porto procura justamente fazer esse encontro entre as pessoas e o corpo desejado.

Tal como explica o cirurgião plástico António Conde, trata-se de um espaço de alguma exclusividade, já que "são pessoas com algumas particularidades, que procuram discrição e que precisam, de facto, de um espaço diferenciado, com alguma privacidade. Esta Unidade tem uma entrada própria e até a decoração é diferente", revela o médico.

Uso de tecnologia avançada na cirurgia plástica

O espaço, que faz da diferenciação e do acolhimento os seus principais trunfos, aposta nos tratamentos não cirúrgicos como:

  • Fios de lifting;
  • Peelings;
  • Tratamentos com fillers;
  • Ácido hialurónico;
  • Dermabrasão.

A tecnologia disponível não podia ser mais moderna. Existem aparelhos de laser, luz intensa pulsada, radiofrequência e endermologia, entre outro equipamento de vanguarda, para dar resposta às diferentes necessidades dos clientes.

Tratamentos estéticos e cirúrgicos

Há cada vez mais pessoas a submeterem-se a tratamentos estéticos, sejam eles cirúrgicos ou não. De resto, segundo António Conde, "tem havido uma procura constante nesta área". Sempre que cheguem casos que impliquem cirurgia propriamente dita, ela é realizada no bloco operatório, mas todo o acompanhamento pré e pós-operatório é feito nesta nova área do hospital.

Em termos cirúrgicos, António Conde destaca, sobretudo, a cirurgia da mama: "Fazemos muito, seja aumento ou redução. E também não podemos descurar a parte reconstrutiva, que é uma cirurgia muito gratificante. Uma mulher que se vê amputada de um órgão fundamental para a sua feminilidade, sente uma felicidade extrema depois de uma reconstrução mamária."

A cirurgia do abdómen é outra das intervenções mais realizadas: "Fazemos muitas abdominoplastias e lipoaspirações, face lifts, rinoplastias (nariz), blefaroplastias (pálpebras), otoplastias (orelhas), não só a mulheres, mas também em homens, que também já têm outro tipo de preocupações estéticas que há uns anos não tinham. Procuram, por exemplo, os microenxertos capilares, por causa da calvície", explica o cirurgião.

Escultor de Alma

António Conde está habituado a trabalhar com a felicidade. Quem o procura sai sempre mais satisfeito do que quando entrou. O médico gosta de recordar uma história que se passou consigo, há uns anos: "Tive uma cliente mexicana, chamada Alma, a quem fiz uma reconstrução mamária. Ela era pintora e, depois da cirurgia, ofereceu-me um desenho de uma mulher de costas, com uns enormes cabelos. Era um autorretrato. Na dedicatória escreveu: 'Para o Dr. Conde, escultor de almas e de corpos.' Talvez seja isso que eu sou. E espero que esta nova unidade faça muita gente feliz."

António Conde apresenta a Unidade de Cirurgia Plástica e Reconstrutiva do Hospital Lusíadas Porto:

Publicado em maio de 2015

Ler mais sobre

Cirurgia

Este artigo foi útil?

Colaboração

Dr. António Conde

Coordenador da Unidade de Cirurgia Plástica e Reconstrutiva

Hospital Lusíadas Porto:
PT