Lusiadas.pt | Blog | Prevenção e Estilo de Vida | Nutrição e Dieta | Dieta DASH e a Hipertensão Arterial
2 min

Dieta DASH e a Hipertensão Arterial

A dieta DASH, do inglês Dietary Approaches to Stop Hypertension, tem sido um dos padrões alimentares com melhores resultados em saúde.

A hipertensão arterial é a principal causa de doenças cardiovasculares e de morte prematura em todo o mundo. Porém, pode ser uma condição reversível e evitável com a adoção de hábitos alimentares adequados, integrados num estilo de vida saudável. A dieta DASH foi criada especificamente com enfoque nesta patologia e tem contribuído de forma significativa para a melhoria de indicadores de saúde, especialmente cardiovasculares.

Na Dieta DASH promove-se a diminuição do consumo de sal, gordura (saturada e “trans”), açúcar, carnes vermelhas e álcool. É recomendado o aumento do consumo de hortofrutícolas, leguminosas, cereais integrais e laticínios com menor teor de gordura. O consumo de alimentos ricos em cálcio, potássio e magnésio é também incentivado.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda um consumo diário de sal de até 5 gramas para adultos (o correspondente a uma colher de chá) e de até  3 gramas para crianças. Contudo, os dados revelam que, na maioria dos países da região europeia, incluindo Portugal, o consumo está muito acima desta recomendação. 
Desta forma, o consumo excessivo de sal constitui uma prioridade de intervenção. Neste sentido, desde 2015, foram definidas estratégias pela Direção-Geral da Saúde (DGS), através do Programa Nacional para a Promoção de Alimentação Saudável (PNPAS). As medidas adotadas incluíram as áreas da restauração, indústria alimentar e panificação — refletindo-se, por exemplo, na diminuição da quantidade de sal adicionado ao pão.

Em suma, apesar de ter sido especialmente desenvolvida para a patologia da hipertensão arterial, a dieta DASH apresenta-se como uma opção para a adoção de uma alimentação completa, variada e equilibrada que permite melhorar parâmetros associados às doenças cardiovasculares, mas também beneficiar outros indicadores de saúde.

Beatriz Vieira, Nutricionista na Clínica de Stº António
Cristiana Brito, Nutricionista na Clínica de Stº António
 

Ler mais sobre

Nutrição

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

PT