Lusiadas.pt | Blog | Prevenção e Estilo de Vida | Nutrição e Dieta | A importância da coenzima Q10
2 min

A importância da coenzima Q10

A ubiquinona, comummente designada por coenzima Q10, está cada vez mais conhecida dada a sua utilização em alguns produtos de beleza e cosmética. Que substância é esta e quais são os seus benefícios? Existem estudos científicos que respondem a estas e outras questões.

Sabe-se que a coenzima Q10 é um antioxidante que se encontra nas células de forma natural, existindo em maior quantidade no cérebro, no fígado e no coração. Está diretamente envolvida na produção e renovação da energia celular, bem como na proteção das células. É sintetizada pelo nosso corpo até aos 20-30 anos, sendo que após esta faixa etária a produção endógena tende a diminuir devido ao processo natural de envelhecimento.

Complicações associadas ao défice de coenzima Q10?

Percebeu-se que níveis reduzidos desta coenzima estão associados a fadiga, a falta de força muscular, os problemas cardíacos e, dado o seu papel antioxidante, o seu défice associa-se também ao aumento do stresse oxidativo, acelerando o processo de envelhecimento e do aparecimento de patologias degenerativas. Quais os seus benefícios?

Onde a podemos encontrar? 

Tal como referido anteriormente, a produção endógena desta coenzima tende a diminuir com o avançar da idade. Deste modo, torna-se importante que a mesma seja obtida de forma externa, nomeadamente através de determinadas fontes alimentares, de forma a compensar este défice. Conheça, então, alguns dos alimentos ricos em Q10:

  • Carnes em geral são a principal fonte desta vitamina. Contudo, e ainda que sem restrições, prefira carnes magras como o peru e o frango, tendo sempre em atenção a forma como as confeciona;
  • Peixes ricos em ácidos gordos, como o ómega 3 e o ómega 6, são essenciais para obter um bom aporte de Q10. Por isso, opte por peixe como a sardinha, o salmão, a cavala e o atum;
  • Amendoins, nozes, castanhas e castanha do maranhão são também uma boa escolha;
  • Pão integral e cereais integrais devem ser também incluídos na alimentação;
  • Vegetais de folha verde como brócolos e espinafres são excelentes opções. Contudo, saiba que deve optar pelos legumes frescos e da época e, sempre que possível, em cru;
  • Soja e derivados, bem como o tofu que é uma proteína 100% vegetal, e que podem ser inseridos em sopas, saladas e como opções proteicas no prato;
  • O abacate, para além de todos seus benefícios, contém também esta vitamina.

Qual a dose recomendada de coenzima Q10?

Até à data, recomenda-se um consumo seguro de Q10 em doses entre os 90 a 200mg/dia, dependendo da existência ou não de patologias associadas. É importante referir que a coenzima Q10 obtida pela alimentação pode não ser suficiente para suprir as necessidades do nosso organismo, por isso é interessante ponderar a suplementação de Q10, sempre com indicação e acompanhamento de um profissional de saúde.

Ler mais sobre

Nutrição

Este artigo foi útil?

We appreciate the feedback.

Please include your email if you want us to follow up with you.

Autoria

Dra. Ana Rita Lopes

Coordenador da Unidade de Nutrição Clínica

Nutrição Clínica
Hospital Lusíadas Lisboa
PT