Lusiadas.pt | Hospitais e Clínicas | Hospital Lusíadas Lisboa | Serviços | Procriação Medicamente Assistida

Enquadramento

Os problemas de fertilidade afetam, durante a vida reprodutiva, um em cada seis casais no mundo. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a prevalência da infertilidade com duração de pelo menos 12 meses está estimada em 9% nas mulheres com idade entre os 20 e os 44 anos.
A Medicina da Reprodução, apoiada nos mais recentes avanços da ciência e tecnologia, proporciona atualmente um conjunto de respostas, permitindo que os casais se tornem pais.

A equipa do Centro de Procriação Medicamente Assistida (PMA) do Hospital Lusíadas Lisboa disponibiliza a sua larga experiência nesta área, para que cada vez mais casais consigam alcançar uma gravidez.
Encontra-se organizada de forma a permitir o estudo completo do casal, a realização das terapêuticas médicas e cirúrgicas necessárias e os tratamentos de PMA indicados.

Quando um casal, referenciado por outro médico ou por sua iniciativa, procura o Centro de PMA, é efetuada uma avaliação clínica de ambos e de imediato se propõe a realização de tratamentos adequados.

Dispondo de condições laboratoriais que favorecem o sucesso dos tratamentos mais avançados nesta área, a integração do Centro de PMA no Hospital Lusíadas Lisboa permite que todo o processo seja efetuado no mesmo local, privilegiando a comodidade do casal, mesmo quando é necessário recorrer ao apoio de outras especialidades.

A certificação do Sistema de Gestão da Qualidade, segundo a norma ISO 9001, para os tratamentos de procriação medicamente assistida, reforça a excelência nos serviços prestados.

Taxa de Sucesso

As taxas de sucesso nas técnicas de PMA variam muito consoante a idade da mulher e as causas de infertilidade.

No Centro de Procriação Medicamente Assistida cerca de 30% dos casais consegue uma gravidez através de Fertilização in vitro. A taxa de sucesso é semelhante à taxa apresentada pela Sociedade Europeia de Medicina da Reprodução.

Causas de Infertilidade

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a infertilidade é uma doença do sistema reprodutivo, definida pela falha na obtenção de uma gravidez clínica depois de 12 meses ou mais de relações sexuais regulares e desprotegidas.

Quando um casal pretende ter um filho ou aumentar a sua família, as causas e dificuldades podem ser complexas, pelo que deve ser efetuada a avaliação clínica do casal. A sua resolução pode originar intervenções médicas mais ou menos complexas, na tentativa de ajudar o casal a cumprir o seu objetivo de ter uma gravidez e consequentemente um nascimento de uma criança saudável.

As causas de infertilidade, segundo a Sociedade Europeia de Medicina da Reprodução, devem-se: 20-30% a causas fisiológicas do homem, 20-35% a causas fisiológicas da mulher e 25-40% a causas em ambos os parceiros. Em cerca de 10-20% não se encontra qualquer causa.

A infertilidade pode estar associada ao estilo de vida, aos hábitos tabágicos, peso corporal e stress. A idade avançada da mulher é outra das explicações para este fenómeno.

O casal tem ao seu dispor durante a avaliação, tratamento e pós-tratamento o acompanhamento pela Unidade de Psicologia do Hospital Lusíadas Lisboa de forma a lidar com as várias etapas inerentes à complexidade do processo.

Exames Complementares

Histerossalpingografia

A Histerossalpingografia consiste na introdução de um contraste através do colo do útero durante o qual serão obtidas algumas imagens com raios X. Este exame permite a avaliação da cavidade uterina, das trompas e da dispersão do contraste na pelve. Este exame também permite a deteção de malformações uterinas congénitas.

Histeroscospia

A Histeroscopia é um exame em que se observa a cavidade uterina com uma sonda associada a uma câmara que permite a visualização de eventuais patologias.

Espermograma

O espermograma é efetuado pelo Laboratório do Centro de PMA e permite avaliar a qualidade do esperma relativamente aos parâmetros: concentração, mobilidade e morfologia dos espermatozóides, e outros que possam ser necessários (vitalidade, presença de anticorpos, entre outros).

Tratamentos

Tratamentos Médicos

Indução da ovulação

Tratamento farmacológico da mulher anovulatória ou com disovulação com o objetivo de induzir ciclos ovulatórios normais.

Existem outras patologias associadas à infertilidade que podem ser resolvidas através de tratamentos médicos.

Tratamentos Cirúrgicos

​​​Tratamentos cirúrgicos podem ser aconselhados e efetuados de forma a resolver a infertilidade ou a melhorar as condições para o sucesso do tratamento através de PMA. As situações mais frequentes são: fibromiomas, pólipos, quistos, endometriose, malformações e laqueação prévia das trompas.

Tratamentos de Procriação Medicamente Assistida

Inseminação intra-uterina (IIU)

A inseminação intra-uterina (IIU) consiste na indução da ovulação associada à introdução no útero do esperma previamente preparado/capacitado no laboratório.

Fertilização in vitro (FIV)

A Fertilização in vitro (FIV) é um procedimento que envolve a fertilização dos gâmetas masculino e feminino no laboratório. Esta pode ser efetuada através da junção em meio de cultura de espermatozóides com os complexos cúmulos-ovócito, fertilização in vitro convencional, ou, através da Microinjeção intracitoplasmática (ICSI) de espermatozóides, procedimento no qual um único espermatozóide é injetado no citoplasma do ovócito. Os embriões obtidos são posteriormente transferidos para a cavidade uterina.

Cultura embrionária prolongada

Alguns casos podem beneficiar da cultura embrionária prolongada com transferência para o útero de embriões na fase de blastocisto.

Criopreservação de embriões

Quando existem embriões excedentários resultantes do ciclo de Fertilização in vitro ou por alguma razão não é possível transferir no decorrer do ciclo, estes podem ser criopreservados.

Recolha cirúrgica de Espermatozóides

Quando há total ausência de espermatozóides no ejaculado é possível retirá-los do tecido testicular através de cirurgia. Os espermatozóides são utilizados a fresco num processo de Fertilização in vitro através de microinjeção intracitoplasmática de espermatozóides e/ou criopreservados para uso posterior.

Tratamentos com Gametas doados (ovócitos ou espermatozóides)

Alguns casos específicos de infertilidade têm indicação para utilizar gametas doados (ovócitos ou espermatozóides) nas diferentes técnicas de PMA (IIU ou FIV/ICSI).

Preservação da Fertilidade

A criopreservação de esperma ou de ovócitos para preservação da fertilidade pode ser efetuada por vários motivos, por exemplo na patologia oncológica antes de iniciar tratamentos de quimioterapia e radioterapia. 

Espermograma

O espermograma é efetuado pelo Laboratório do Centro de PMA e permite avaliar a qualidade do esperma relativamente aos parâmetros: concentração, mobilidade e morfologia dos espermatozóides, e outros que possam ser necessários (vitalidade, presença de anticorpos e fragmentação de DNA espermático).

Contactos

Fale connosco

21 770 40 40

7h às 22h, 365 dias
Chamadas internacionais
+351 21 770 40 40

Lusíadas

Nova app +Lusíadas para mais saúde

Presencialmente

Rua Abílio Mendes

​1500-458

Lisboa